Salários atrasados da Ortopedia do Santa Tereza devem ser pagos até fevereiro de 2020

Ortopedia do hospital volta atender com três dos quatro médicos em Guarapuava

O atendimento do setor de ortopedia do Hospital Santa Tereza, suspenso desde 1º de janeiro deste ano, voltou a ser feito à população nesta semana. A prestação do serviço havia sido interrompida depois que os quatro médicos responsáveis pelo setor, decidiram parar de oferecer os serviços por falta de pagamento dos salários. A decisão dos profissionais foi tomado devido à dívida da instituição com o corpo clínico, que se arrasta em uma crise financeira desde o início de 2018.

Nesta sexta feira (18), o administrador do HST, Francisco Cogo informou ao Portal RSN, que três dos quatro médicos que compõem o setor ortopédico, chegaram a um acordo financeiro com diretoria do Instituto Virmond que mantém o Santa Tereza.

“O setor está funcionando 100%, mas sem um dos médicos que ainda não respondeu se aceitará ou não, o acordo. Ele tem até semana que vem para decidir. Caso decline, teremos que contratar um novo profissional para completar o quadro clínico da ortopedia.”

(Foto: Matheus Buongermino)

ACORDO

Pelo acordo, nos meses de janeiro à abril o hospital pagará 30% do valor dos salários aos médicos da ortopedia. A partir de maio deste ano, com o repasse do valor previsto pelo novo contrato, os salários serão pagos integralmente. E a partir de junho, além do salário completo, os médicos do setor deverão receber também parcelado, o saldo devedor até fevereiro de 2020.

No último dia 9, o Governo do Estado do Paraná garantiu ajustes orçamentais para que o Hospital Santa Tereza, reabrisse o setor de Ortopedia. O primeiro contrato com a instituição previa repasse de R$ 227 mil, para cirurgias de alta complexidade. Mas como o hospital não atingiu as metas estipuladas pelo Governo, já que a demanda é para procedimentos de média complexidade, o valor recebido para manutenção do setor ficou entre R$ 50 mil e R$ 80 mil.

De acordo com Cogo, o acordo foi possível após alteração contratual que começa a valer para os atendimentos de média complexidade a partir de fevereiro. Com isso, o repasse será de R$ 150 mil a partir de maio deste ano.

“O recebimento destes R$ 150 mil que foram liberados continuará comprometido ao cumprimento de metas estabelecidas pela Secretaria de Estado da Saúde, mas agora para atendimentos de média complexidade”, completou Cogo.

O administrador do Hospital Santa Tereza também informou que a crise financeira é um problema enfrentado pelas empresas por falta de capital de giro. E que para evitar o surgimento de novas crises financeiras, está revendo os contratos e negociando com os fornecedores. Sobre o futuro do hospital, Cogo foi otimista. “Vejo com grandes perspectivas que o Santa Tereza volte a ter dias de glória em Guarapuava.”

Relacionadas

VAMOS PARTICIPAR?

Oficina on-line de ginecologia natural ocorre neste sábado (28)

QUE VENHA DEZEMBRO

Último fim de semana de novembro será chuvoso em Guarapuava

QUE TAL SE TORNAR DOUTOR?

Unicentro anuncia autorização para oferta de Doutorado em Letras

Comentários