Saúde alerta sobre riscos de toxoplasmose na gravidez

Quando a gestante é diagnosticada com toxoplasmose, o tratamento e acompanhamento da doença são disponíveis pelo Sistema Único de Saúde (SUS)

Tratamento contra a doença é oferecido pelo Sistema Único de Saúde (Foto: Reprodução/Pixabay)

A toxoplasmose é uma doença transmitida por animais bastante comum, que pode ocorrer pela ingestão de água ou alimentos contaminados. Desse modo, essa é uma infecção que pode apresentar complicações como toxoplasmose ocular e cerebral e também comprometer o bebê durante a gestação, levando inclusive ao abortamento em alguns casos.

Assim, as gestantes durante o pré-natal devem fazer exames para diagnosticar precocemente a doença para rápida intervenção terapêutica e medidas de prevenção. Para ampliar a atenção em relação aos cuidados, foi instituída a Semana de Orientação sobre a Toxoplasmose como a primeira semana do mês de agosto no Paraná, por meio da Lei nº 20203/2020.

O secretário estadual da Saúde, Beto Preto, afirma que a visibilidade nesse tipo de patologia é essencial para a redução de danos à população. “Falar, debater, conhecer mais e aprender é o ideal para evitar muitas patologias”. Segundo ele, a toxoplasmose é uma doença evitável, com higienização das mãos, alimentos, cuidados com os animais de estimação, são importantes para evitar danos que a doença pode deixar na pessoa.

Desse modo, quando a gestante é diagnosticada com toxoplasmose, o tratamento e acompanhamento da doença são disponíveis pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Quando o tratamento é feito corretamente, o bebê fica protegido.

VIGILÂNCIA

Ainda de acordo com as informações, o rastreamento sorológico no pré-natal permite a identificação de gestantes suscetíveis para seguimento posterior, com vistas à prevenção da infecção aguda por meio de medidas de prevenção primária e a detecção precoce da toxoplasmose.

Assim, a notificação, investigação e o diagnóstico oportuno dos casos agudos em gestantes viabilizam a identificação de surtos, o bloqueio rápido da fonte de transmissão. E ainda a tomada de medidas de prevenção e controle em tempo, além da intervenção terapêutica adequada. E por fim, a redução de complicações, sequelas e mortes. A investigação em recém-nascidos permite a intervenção precoce em casos em que a doença seja confirmada.

TOXOPLASMOSE CONGÊNITA

Em gestantes, a doença pode afetar também o recém-nascido. Em 85% dos bebês infectados não há sinais clínicos evidentes. Mas a criança pode ter sinais no período neonatal como icterícia, macrocefalia ou microcefalia e crises convulsivas; ou nos primeiros meses, acometimento visual em graus variados, surdez e atraso do desenvolvimento neuropsicomotor.

Assim, sequelas tardias são mais frequentes quando a toxoplasmose congênita não tratada com medicamentos específicos durante o primeiro ano de vida. Há casos relatados de surgimento de sequelas da doença, não diagnosticadas previamente, na adolescência ou na idade adulta.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

NOVOS CASOS

Guarapuava tem 10 novos casos confirmados de covid-19 em 24h

CELEBRAÇÃO RELIGIOSA

Tradicional celebração católica 'Tríduo dos Anjos' ocorre em Guarapuava

TEMPORAL NA REGIÃO

Temporal destelhou 30 casas em Guarapuava na madrugada de hoje (28)

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com