Sesa registra o 1º caso de sarampo em Guarapuava

Conforme a Secretaria Estadual de Saúde, outros nove casos foram descartados em Guarapuava e seis ainda estão em investigação

Sesa registra o 1º caso de sarampo em Guarapuava (Foto: Divulgação)

Guarapuava registra o primeiro caso de sarampo. A confirmação veio no Informe Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), nessa quinta (30). Todavia não foram informados o sexo e a idade do paciente diagnosticado.

Além disso, o boletim dessa quinta, informou ainda que o Paraná já tem 1.051 casos da doença. Com isso são 34 a mais que na semana passada. Assim, conforme a Sesa, outros nove casos foram descartados no município e seis estão em investigação.

Nos oito municípios que pertencem a 5ª Regional de Saúde, existem 22 casos descartados e outros 16 em investigação. Entretanto apenas Guarapuava confirmou o primeiro registro de sarampo.

(Tabela: Sesa)

Além de Guarapuava, outros 33 novos casos foram confirmados em Curitiba (26), Colombo (3), Piraquara (2), São José dos Pinhais (1) e Ibaiti (1). Conforme o secretário de Saúde Beto Preto, após 20 anos sem casos no Estado, o Paraná iniciou um novo monitoramento da doença em agosto de 2019 e desde então já notificou 3.418 casos. Destes, 1.798 estão em investigação e 569 foram descartados.

“Mais da metade dos casos confirmados são entre pessoas de 20 a 29 anos seguido pela população de 10 a 19, isso mostra que os jovens são os mais acometidos pela doença e também indica que estas faixas etárias não se vacinam”.

Segundo ele, mesmo durante a pandemia da Covid-19, a população deve se prevenir também de outras doenças. “Sabemos que o momento que vivemos tem gerado pânico nas pessoas e talvez por este motivo, não tenham procurado se vacinar para prevenção de doenças como o sarampo e a gripe, por exemplo”.

VACINAÇÃO

A campanha nacional de vacinação contra o sarampo teve o prazo prorrogado. Assim, a imunização vai acompanhar o calendário da vacinação contra a gripe, que começou 23 de março e se estende até 22 de maio.

A vacinação é indiscriminada para pessoas de 20 a 49 anos. Além disso, a Sesa alerta sobre o contágio da doença. Assim, a imunização contra o sarampo faz parte do Calendário Nacional de Vacinação. A Vacina Tríplice Viral é indicada entre 1 a 29 anos, com duas doses, e de 30 a 49 anos, com uma dose.

De acordo com Beto Preto, o vírus está circulante no Estado e o sarampo é doença altamente contagiosa.
“Estamos em período de campanha de imunização contra o sarampo. Tivemos o prazo prorrogado e a faixa etária ampliada para beneficiar um número ainda maior de paranaenses”.

SINTOMAS

O Sarampo ficou cerca de 20 anos sem ser detectado no Brasil, mas em agosto do 2019 ele voltou com força. Ela uma doença infecciosa grave, causada por um vírus, que pode ser fatal.

A transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. A única maneira de evitar o sarampo é pela vacina. Os sintomas são:

  • febre acompanhada de tosse;
  • irritação nos olhos;
  • nariz escorrendo ou entupido;
  • mal-estar intenso.

No SUS, as vacinas são gratuitas, seguras e estão disponíveis nas mais de 36 mil salas de vacinação em postos de saúde em todo o Brasil. O sarampo é uma doença grave que pode deixar sequelas por toda a vida ou causar a morte. A vacina é a única maneira de evitar que isso aconteça.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

ACUMULOU

Mega-sena acumula e prêmio vai a R$ 45 milhões

CORONAVÍRUS

Criança de apenas 1 ano é o segundo caso de covid-19 em Irati

CUIDADOS

Projeto da Unicentro apoia mães de bebês prematuros de Irati e Região

Comentários