Setembro Amarelo: como ajudar quem não sente mais vontade de viver?

A falta de vontade em viver pode afetar qualquer um. Em Guarapuava, a ação 'Guarapuava Salvando Vidas' ajuda na prevenção com a escuta ativa

Setembro Amarelo: como ajudar quem não sente mais vontade de viver? (Foto: Reprodução)

Eu estava em um relacionamento e comecei perceber que nada fazia sentido, eu tinha medos constantes sobre tudo. Medo de ser abandonada, medo de não ser amada e eu tinha muitas crises de ansiedade. Eu não estava feliz, pensava em suicídio constantemente, não tinha vontade de levantar e viver. Comecei a fazer terapia, mas não estava ajudando pois piorei muito. Acho que ter procurado ajuda foi o primeiro passo pra perceber que eu não estava sozinha e que eu podia fazer algo por mim também.

Esses foram os sentimentos que uma jovem sentiu antes de atentar contra a própria vida. Em entrevista ao Portal RSN, ela pediu anonimato. Mas decidiu compartilhar o que passou antes de ser socorrida. “A solidão, os medos constantes e a falta de sentido de continuar viva”.

As causas para a depressão podem ser muitas. E o resultado pode ser muito triste, se a ajuda não vier a tempo. Felizmente, a entrevistada que preferiu não se identificar é uma sobrevivente. Ela procurou ajuda e teve o apoio da família e de amigos. O caminho da cura da dor e o tratamento médico são longos. Mas é necessário ir atrás da melhora, de acordo com a jovem.

Foi necessária a dor na minha vida pra eu perceber como sou forte por passar por essa experiência e continuar firme atrás da melhora. Ainda tenho crises de ansiedade, mas com pouca frequência. Ainda tenho dias que não quero pensar em viver ou levantar da cama pra fazer algo. Com o tempo, sei que estou fazendo o melhor que eu posso.

Assim, nesse mês do Setembro Amarelo, o Portal RSN, está fazendo uma série de reportagens de alerta e prevenção ao suicídio e trazendo informações referentes à saúde mental das pessoas. Mas, o que fazer quando o desespero bate, e a alguém precisa de ajuda imediatamente?

Em Guarapuava, um dos serviços é o ‘Guarapuava Salvando Vidas – GSV’, um projeto que por meio de um chat, ajuda pessoas que pensam na possibilidade de tirar a própria vida e traz o alívio da escuta ativa.

‘GUARAPUAVA SALVANDO VIDAS’

Arthur Mondin, idealizador do projeto, e com experiência de 35 anos como voluntariado no Centro de Valorização da Vida (CVV), notou que ao se mudar para Guarapuava, o município necessitava de algo para prevenir e ajudar alguém quando tudo parece estar perdido.

Nesse sentido, ele criou a plataforma via atendimento por chat com voluntários. O atendimento permite um público maior de pessoas pela facilidade de acesso. Assim, desde 2013, os resultados foram surpreendentes. Só em 2020 até o momento, mais de 450 pessoas foram atendidas. Além disso, muitas mensagens chegam quando um voluntário não está on-line.

De acordo com Arthur, a faixa etária é abrangente. “Quantidade de jovens de 10, 11, 12 nos procura é muito grande. É surpreendente você conversar com uma criança, que já pensa em morrer. Até 2013, essa faixa etária não era comum. É uma realidade difícil, mas é um fato”.

VOLUNTARIADO

São apenas 10 voluntários no projeto até o momento. Porém, é preciso de mais pessoas dispostas a ajudar o próximo. Assim, quem estiver disposto, é só entrar no site e mandar uma mensagem no campo informado e aguardar o contato.

Quem quer ser voluntário, não entra no programa sem um treinamento para participar. Segundo Arthur, é feito um curso de 30 horas de treinamento prático e noções teóricas.

NÃO É UMA FASE

Segundo informações do médico legista Eric Prado, Guarapuava tem média de um suicídio a cada semana. Entretanto, durante a pandemia, com as pessoas ficando em casa, os registros diminuíram. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o Brasil tem um suicídio a cada 45 minutos.

O suicídio não é apenas uma fase, algo a ser discutido apenas no Setembro Amarelo ou em pandemia mundial. Conforme Arthur, é algo diário.

A onda de suicídio não é um período, é algo permanente. Está sempre acontecendo, e por isso, esse trabalho de prevenção é algo que precisa acontecer.

SERVIÇO

Para precisar de ajuda, o site GSV está sempre no ar. Com atendimento on-line de domingo a sexta, das 19h às 23h e no sábado, das 19h às 22h. De acordo com Arthur, os voluntários farão de tudo para ajudar para que, a vida seja preservada e que seja mais leve.

Se você está triste, magoado, desesperado… Venha conversar com a gente. Aproveita essa oportunidade do desabafo. Você vai se sentir mais aliviado, relaxado e vai poder continuar vivendo de uma forma mais tranquila. É por isso, que nós estamos a disposição.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

COVID-19

Dois casos de covid-19 foram confirmados em Guarapuava neste domingo

SETEMBRO AMARELO

Pandemia reforça novos cuidados com a saúde mental

DIA DA ÁRVORE

Instituto Água e Terra desenvolve ação para o Dia da Árvore

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com