Suspeito da morte de Antonio Carlos permanece calado, diz delegada

O jovem Audrey Bhurer, 21 anos, suspeito de ter matado o radialista Antonio Carlos Bernardino com 12 golpes de faca continua preso na Cadeia Pública de Guarapuava. Ele divide uma cela com outros sete presos.

Preso horas após a morte de Bernardino ocorrida na madrugada do dia 24 de dezembro no apartamento onde morava no Edifício Emiliano, centro da cidade, Audrey admitiu ter assassinado a vítima.

Quando foi levado para a delegacia de polícia, porém, o jovem prestou um depoimento que durou menos de cinco minutos e ficou calado.
“Ele utilizou o direito constitucional de somente falar em juízo”, disse a delegada. Em entrevista à Rede Sul de Notícias/Tribuna, Maritza não quis revelar o nome do advogado de Audrey.

Ela disse que os laudos sobre os materiais colhidos na cena do crime, incluindo o resultado do exame toxicológico deverão chegar até o dia 24 de janeiro, 30 dias após a morte da vítima.

Antonio Carlos era desportista e não costumava ingerir bebida alcoólica, segundo informações de amigos.

Confira a entrevista abaixo:

Relacionadas

GRANDE APREENSÃO

Operação apreende 220 quilos de maconha em Guarapuava

MORTE

Idoso é encontrado morto em frente de casa em Prudentópolis

SEGURANÇA

Jovem fica ferido com tiro no bairro Dos Estados em Guarapuava

Comentários