Bardo Zé resgata a tradição de malhar o Judas

Boneco simboliza a reforma da Previdência

Boneco (Foto: Divulgação)

Sabe aquela tradição de malhar o Judas, prática que acontecia há anos no Sábado de Aleluia? Pois se você não foi criado sabendo ou nunca participou dessa tradição que foi trazida para o Brasil pelos espanhóis e portugueses, a malhação simboliza a morte de Judas Escariotes, considerado o traidor de Jesus.

Um boneco de pano do tamanho de uma pessoa é pendurado ou deixado em locais estratégicos onde as pessoas possam surrá-lo com pedaços de pau e depois ateiam fogo. Com o passar dos anos os bonecos foram adquirindo caras, principalmente de políticos.

Em Guarapuava, a partir da meia-noite, desta ‘Sexta Feira Santa’ para o ‘Sábado de Aleluia’, um boneco simbolizando a Reforma da Previdência estará à disposição dos clientes no Bardo.

De acordo com um dos proprietários, o filósofo Francis Silveira, ele e os sócios Lizandro Veira, Gilson Campos e Tharsis Neiva estavam em dúvida se abririam o bar nesta sexta (20), ou não. “Aí tivemos a ideia de resgatar uma tradição que está esquecida que é a malhação de Judas”.

A ideia foi compartilhada com clientes que auxiliaram na produção do boneco representando a proposta da reforma previdência. “Esse judas representar o cerceamento dos direitos do povo, a traição do povo pelo nossos governantes. Foi uma forma bem humorada de mostrar a indignação popular”.

Francis disse também que quando era criança nunca malhou o judas, porém sempre ficava espantado quando via os bonecos pendurados nos postes.

“E a ideia é criar esse espanto, mas direcionando para o alerta dos direitos que estão sendo tirados. E o judas da reforma surgiu porque a reforma diz que vai cortar privilégios, mas na verdade ela vem cortar os direitos do povo brasileiro”.

SERVIÇO

O Bardo do Zé fica na Rua Visconde de Guarapuava, 2030 próximo à Praça da Fé.

É um bar caipira e o nome remete a Shakespeare, o que contava história e recitava poemas. “Zé remete ao cidadão simples mas não ingênuo. Lembrando os nossos antepassados”, diz Francis.

Relacionadas

CULTURA E ARTE

Felchak vai abrir inscrições para quem deseja fazer arte

LAZER

MON terá oficina de construção de brinquedos neste domingo

CULTURA PARANAENSE

Férias no Museu Paranaense valorizam povos originários do Paraná

Comentários