Em Turvo, eles atiram a primeira pedra

Primeiro torneio de estilingue está com inscrições abertas

O estilingue, brincadeira de criança que sempre encantou meninos e meninas, principalmente, na área rural, em Turvo, ganha ares de competição. No sábado (28), a partir das 8h da manhã, cada inscrito deve estar pronto para atirar a primeira pedra. O alvo será uma fileira de latinhas de refrigerantes, com água dentro. Cada atirador terá entre três e cinco chances de acertar.

(Foto: Rafael Publio/Pixabay)

De acordo com Leonides Laercio Medeiros, o professor Dinho, o regulamento ainda está sendo elaborado. Ele e o também professor Julio Cezar Alves, ambos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), são os organizadores do evento, que acontecerá na Pista de Laço, do CTG Rincão do Pinhal.

A inscrição custa R$ 15, com renda destinada para a compra de material pedagógico para os mais de 60 alunos especiais, da sede e do interior. Os interessados podem se inscrever na Secretaria de Esportes da Prefeitura de Turvo.

O ESTILINGUE

Estilingue, atiradeira, badoque, fisga, cetra: estes e muitos outros nomes caracterizam a arma primitiva feita com forquilhas de árvores, um pedaço de couro e tira de câmera de ar de caminhão ou de bicicleta. A prática começou lá pelo ano de 1920. Mas, o primeiro registro histórico da utilização de uma versão inicial do estilingue está na passagem bíblica de Davi e Golias. Davi usou uma funda para atirar uma pedra e derrotar o gigante.

Como tudo se transforma, uma das evoluções do estilingue foi no começo dos anos 1980, quando a “tripa de mico” substituiu as tiras de borracha. Hoje, na maioria dos supermercados, podem ser encontrados estilingues em plástico e metal. O que vale mesmo é acertar o alvo, desde que não sejam os passarinhos, como era feito antigamente.

Relacionadas

MÚSICA

Bruna Thimoteo lança o single 'A benção da travessia'

IMAGEM

Matysiak concorre ao 'Oscar da Fotografia' com foto polêmica

DANÇA

Bailarinos de Guarapuava participam de festival on-line

Comentários