Guarapuava de Outro Ângulo: amantes da fotografia eternizam o terceiro planalto

Com mais de 8 mil membros, grupo de fotógrafos profissionais e amadores de Guarapuava registram detalhes que, muitas vezes, passam despercebidos no dia-a-dia

Alguns dos moradores do Parque do Lago, em Guarapuava (Foto: Thiago Hecavei de Oliveira)

Olhar e ver. Palavras que, muitas vezes, são usadas como sinônimos no nosso cotidiano, têm muita diferença, principalmente, para os fotógrafos, sejam amadores ou profissionais. Olhar está relacionado ao supérfluo, a rapidez cotidiana, que faz que muitos detalhes ao nosso redor passem despercebidos. Ver, pelo contrário, exige calma, atenção e sensibilidade. E são exatamente estes conceitos de visão que permeiam o grupo Guarapuava de Outro Ângulo, um espaço informal no Facebook que ajuda a eternizar diversos detalhes do terceiro planalto paranaense.

Idealizado pela fotógrafa Mariana Partyka, o grupo possui, atualmente, mais de oito mil membros, entre fotógrafos profissionais, amadores ou simplesmente pessoas que curtem admirar algumas das pequenas belezas de Guarapuava que são divulgadas diariamente no espaço. A regra de participação é uma só: ser simples, olhar ao redor e captar a beleza do município.

Quando criou o grupo, Mariana tinha o objetivo de apenas de mostrar o “lado bom” de Guarapuava, instigando os participantes a terem a visão mais atenta as pequenas belezas.

Mariana divide seu tempo entre o amor pela fotografia e seu trabalho em um hospital (Foto: arquivo pessoal)

“Eu queria que as pessoas despertassem umas nas outras sentimentos bons através da fotografia e que de uma forma utópica eu acreditava que isto despertaria a menina radiante que Guarapuava é, brilhante e feliz”.

Para a guarapuavana, que se divide entre o trabalho de fotógrafa e seu serviço em um dos hospitais da cidade, a fotografia é uma forma de reprodução dos sentimentos, uma reprodução muda, que entra pelos olhos e, pela vivência de cada um, é capaz de despertar sentimentos variados.

A minha primeira descrição no grupo era de que não aceitaria nada que atribuísse algo negativo a Guarapuava, pois seria um posicionamento reverso ao que eu estava tentando mostrar. A intenção do grupo é despertar sentimentos bons pela nossa cidade. Tive receio no começo, mas algo dentro de mim me impulsionava a despertar este olhar, este ângulo diferente de Guarapuava. Este ângulo da beleza, de amor. Este ângulo que não se incentiva a despertar.

No início do grupo, apenas alguns amigos de Mariana integravam o coletivo. Porém, em pouco mais de duas semanas, o grupo já contava com mais de duas mil pessoas.

(Foto: Mariana Partyka)

“Todos os dias eu recebia fotos dos mais diversos lugares, flores, casas, animais e pôr do sol.  Em um mês o grupo tinha quatro mil pessoas e eu, como uma fotógrafa amadora, fiquei extremamente empolgada com todo aquele amor a fotografia que partilhávamos. Sem contar que eu estava conhecendo vários lugares nem imaginados em Guarapuava”.

Um dos participantes do grupo é o Thiago Hecavei de Oliveira, jovem fotógrafo guarapuavano que, vira e mexe, dá as caras na nossa capa do Facebook com alguns dos seus cliques sensíveis de cenários do município. Ele começou a fotografar a pouco mais de um ano, atividade que começou como hobby e hoje já é levada por ele como profissão.

A fotografia se tornou um grande desafio. Tem momentos surpresos, radicais, mas levo isso como um aprendizado. A partir da fotografia eu percebi que tudo o que vivemos deve ser registrado, até mesmo um momento do dia-dia, o qual será, um dia, uma boa recordação.

Pôr-do-sol registrado em Guarapuava (Foto: Thiago Hecavei de Oliveira)

No grupo, além dos compartilhamentos diários, já foi realizado, também, um concurso de fotografia. Hoje, Mariana tem como meta a realização de mais um concurso, desta vez, com maiores proporções.

“Eu poderia escrever um livro sobre esta experiência. Conheci pessoas de Guarapuava extraordinárias e que tem um olhar de amor pela cidade e pela fotografia. E era isto que eu queria juntar. Hoje, meu trabalho me consome um tempo de dedicação, mas a meta é focar e desenvolver um segundo concurso de fotografia, ainda sem previsão de data”.

Para conferir mais cliques publicados no grupo e, também, integrar o coletivo, basta solicitar participação através deste link.

Relacionadas

CULTURA

Biblioteca Pública lança novas edições de projetos infantis

CULTURA

Oficinas virtuais do MON já alcançaram mais de 165 mil pessoas

CULTURA

Grupos de leitura ajudam a adquirir conhecimento na quarentena

Comentários