Klaus Pettinger: jornalista, fotógrafo, escritor e caçador de raios

Hobby já tem mais de 10 anos e ganhou até página em rede social para postar registros dos raios

(Foto: Klaus Pettinger/Guarapuava)

Aos 34 anos, dos quais 12 dedicados ao jornalismo, o jornalista guarapuavano Klaus Pettinger é autor do romance de aventura infanto-juvenil “O Sumiço do Hanomag”, escrito em parceria com a Fundação Cultural Suábio-Brasileira.

E agora, como bem informou para esta reportagem “está no mercado”. Até aí, tudo bem. Mas que história é essa de “caçar raios”? Klaus também é fotógrafo e se diz um apaixonado por fotojornalismo.

(Foto: Divulgação)

“Mas ‘caçar raios’, como eu brinco, é um hobby para os meus tempos livres. Faço isso há mais de 10 anos. Depois que ‘pesquei’ o primeiro, fiquei fascinado por essa arte”, contou o jornalista.

(Foto: Klaus Pettinger/Guarapuava)

Aliás, o ‘Lightning Hunter’ ou ‘Caçador de raios’ disse que andava difícil pescar um raio. Desde janeiro de 2017 não conseguia uma foto legal, se referindo às fotos tiradas na PR-170, a caminho de Entre Rios.

(Foto: Klaus Pettinger/Guarapuava)

Esses registros foram feitos na última quinta feira (17) por volta das 21h em Entre Rios. O interessante é que ambas têm exposição de 90 segundos, o que permitiu a captura de pelo menos três raios na duas.

“Em média, conto uma ou duas ocasiões perfeitas por ano. É uma prática que requer bastante paciência e sorte de estar no lugar certo e na hora certa.”

TÉCNICA

Há pelo menos duas formas de se tirar fotos de raios. Klaus conta que a preferida é também a mais prática: câmera no tripé, disparador remoto e abertura de 30 segundos.

“A luz que passar pelo obturador nesse meio tempo é a imagem que eu terei. Ou seja, só resta torcer para que a câmera esteja apontada para o lado certo, que não trema, que a lente não molhe e que o vidro da janela não embace”, brincou.

SEGURANÇA

Mas não dá pra sair por aí no meio de temporais tentando fotografar um raio. Isso porque não pode esquecer de um detalhe importante: nenhuma foto vale a própria vida.

Por isso, sempre faço as fotos na segurança de uma casa fechada ou no carro, quando saio literalmente à caça. Lugares próximos a postes, ao mar, a cercas, grades e árvores são perigosíssimos durante uma tempestade. Além de raios, há muito vento durante a tempestade e isso deve ser levado em consideração.

Para acompanhar os registros do ‘caçador de raios’, você pode acompanhar o perfil Lightning Hunter.

Relacionadas

Que tal fazer você mesma a fantasia para o seu cão?

Os sonhos compartilhados nas audições do MGT em Guarapuava

REENCONTRO

Elas se reencontram 10 anos após a formatura

Comentários