Maurício Decker lança livro sobre viagem à Patagônia

Com a bicicleta como a melhor amiga, Maurício decidiu se desapegar dos bens materiais e se jogar em uma viagem de aventura

Com a bicicleta como melhor amiga, Maurício decidiu se desapegar dos bens materiais e se jogar em uma viagem de aventura (Foto: Divulgação)

Aventura, derivada do latim “ad venture”, remete a ousadia, ao inesperado e aquilo que surge pela frente. Ligada à vida humana, mesmo que de forma discreta. A maioria das pessoas gosta de colocar a coragem à prova e participar de grandes desafios. Com isso, podemos dizer então, que o significado da aventura aqui presente está relacionado a realização de sonhos e superação.

Apaixonado por ciclismo e viagens, Maurício Decker decidiu unir dois de seus hobbies. Dessa maneira, foi em uma viagem para a Patagônia, que viveu dias inimagináveis. Os pedais foram seus grandes aliados durante o percurso.

Assim, entre uma pedalada e outra, Decker encontrou santuários como a Reserva de Taim com os jacarés. Então, passou por Cabo Polônio e avistou os lobos-marinhos. Sem esquecer os 500 mil pinguins-de-magalhães em Punta Tombo, na Argentina. Algo que guardará nas lembranças para sempre.

Encantado com o que encontrou pelo caminho Maurício decidiu contar sua história (Foto: Maurício Decker)

Facebike e o Mentiroso de Chubut

Encantado com o que encontrou durante o caminho, Maurício decidiu compartilhar um pouco da história. O livro ‘Facebike e o Mentiroso de Chubut’ é o resultado de uma mistura entre aventura, diversão e mistério. De acordo com o escritor, a ideia de relatar a viagem em uma narrativa surgiu de forma natural.

“Os relatos de viagem são minha leitura preferida. Não poderia deixar de escrever sobre uma experiência tão rica e tão única. Uni o útil ao agradável, que aqui pode ser invertido tranquilamente, viagem com livro, ou livro com viagem. Duas paixões”.

Uma viagem de bike foge totalmente o convencional, aquilo que planejamos comumente. Sendo assim, esse é um dos grandes diferenciais da escrita. Dessa forma, leva o leitor, como em um teletransporte, a entender o que viveu. São encontros, situações engraçadas, acasos e lugares dignos de cartão postal.

 Se fosse escrever tudo, daria um livro imenso, com mais de mil páginas. Então elegi alguns pontos para a narrativa. A primeira edição está praticamente esgotada. O feedback que recebi dos leitores não poderia ser melhor. É gratificante ler as mensagens que recebo de todas as partes do mundo.

O material foi lançado em março de 2019. Agora, é disponibilizado em PDF gratuito, para que as pessoas se divirtam lendo durante a quarentena.

Qual sua história com a Patagônia?

Filho de professores, desde sua infância, Maurício teve contato direto com livros. Sua segunda graduação foi em letras, o que reforça o amor pelas palavras. Em 2007, foi um dos vencedores do Prêmio Off Flip de Literatura.

Maurício busca diversão, aventura e muita história para contar (Foto: Maurício Decker)

Com a chegada da juventude, veio junto a ideia de viajar pegando carona nas estradas. Desse modo, escalar montanhas, andar durante um trecho, qualquer maneira era válida para colocar a coragem à prova. O resultado era, e é sempre o mesmo: diversão e muita história para contar.

Segundo Maurício a ida para a Patagônia já estava sendo sonhada havia algum tempo. Desde os 18 anos, para ser mais precisa. “Em minhas leituras, descobri que havia na Patagônia uma colônia de pinguins que seria a maior fora da Antártida, com cerca de meio milhão deles. Estudando um Atlas do New York Times, descobri que existiam estradas secundárias até lá. Assim, nasceu a ideia”.

Os 500 mil pinguins-de-magalhães em Punta Tombo motivaram a viagem (Foto: Maurício Decker)

Sua trajetória foi marcada pela lembrança dos anos que esperou para estar ali. Dessa forma, o caminhar entre os animais no seu habitat natural, é uma das imagens que o inspirou durante a escrita do material.

O aventureiro já tinha feito outras viagens de bicicleta. Entretanto, essa foi a maior distância percorrida, e a mais emocionante. Ao todo, foram 60 dias entre desertos, paisagens do National Geographic e encontros surpreendentes.

Conforme Maurício viajar de bike é algo único. As pessoas precisam fazer para entender como é a sensação. É como cantou Tim Maia, descobridor dos sete mares, mas aqui podemos trocar o navegar, por pedalar. Eu quero sim!

Por mais clichê que seja, a vida é curta, muito curta, e pretendo aproveitar ao máximo. Pedalar até a maior colônia de pinguins fora da Antártida me pareceu uma boa maneira de casar meus sonhos de juventude. É a junção do que penso, com o que falo, e como costumo agir.

Como adquirir um exemplar?

Para garantir um PDF do livro basta entrar em contato com o Maurício pelo e-mail: maurizio.decker@gmail.com

Você também pode comprar um exemplar na Loja Alta Montanha ou na Livrarias Curitiba.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

É DIREITO!

População LGBTI+ tem acesso a serviços socioassistenciais

TORNANDO SONHOS REAIS

O sonho de Márcio pode se tornar real, ajude participando da Vakinha on

QUE DELÍCIA

'Segredo de Família' revela a primeira finalista do concurso

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com