No Dia do Orgulho LGBT+ guarapuavanos relatam a importância da data

No dia do Orgulho com a pandemia e a impossibilidade de celebrar junto aos amigos, é hora de relatar o sentimento e aproveitar as lives marcadas

Com a pandemia, é hora de relatar o sentimento e aproveitar as lives marcadas (Foto: Arquivo/RSN)

Em 28 de junho é comemorado o Dia do Orgulho LGBT+ (lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros, entre outras identidades, expressões de gênero e orientações afetivo-sexuais). Normalmente, neste dia são organizados desfiles, manifestações, festas, entre outras coisas que celebram o amor e a igualdade. Entretanto, durante a pandemia, com a impossibilidade de celebrar junto aos amigos, é hora de relatar o sentimento e aproveitar as lives marcadas para este domingo (28).

Em Guarapuava, a Marcha Mundial das Mulheres – Núcleo Guarapuava deixou uma mensagem de apoio e carinho à toda a comunidade LGBT+. “Por um mundo em que toda forma de amar seja respeitada. Que mulheres lésbicas e bis não sejam fetiches para homens. Que mulheres trans vivam com dignidade e sem violência. E, que as expressões de gênero e sexualidade não sejam uma forma de manutenção do capitalismo heterossexual, racista e patriarcal, mas criem novas possibilidades de pensar e construir o mundo”.

(Foto: Divulgação)

O principal objetivo do dia 28 é conscientizar as pessoas sobre a importância do combate à homofobia, a fim de construir uma sociedade livre de discriminação e preconceito de gênero. Nesta data tão especial, o artista guarapuavano Tom Zawa também deixou uma mensagem e homenagem à comunidade.

No texto descreveu um pouco sobre a história do bar em Nova York que foi invadido pela força policial que prendeu drag queens sem um motivo real. “Todo o glamour de hoje nasceu dos paus e pedras que foram jogados na resistência daquele dia. Acho que Marsha P. Johnson e Sylvia Rivera estariam orgulhosas de nós hoje, mas não acho que estariam satisfeitas. Que agora, enquanto sociedade possamos celebrar essa caminhada e lembrar do que foi feito até aqui. Mas que a gente não se esqueça: ainda não é o suficiente”.

O artista David Felchak também deixou uma linda mensagem sobre existir. No texto, fala sobre a dificuldade em enfrentar piadas, xingamentos e violência.

Sair da caverna e ver a luz da liberdade, mesmo com preço alto a se pagar, ainda sim, a luz e a única que nos aquece , mesmo que algumas pessoas insistam em não nos ver, ou mesmo tampar os raios de sol. Estamos aqui, vivos e iluminados para que todos vejam, somos cores! Se Surpreendam, respeitem, protejam, aceitem, entendam e amem! Hoje também é dia daquele que se orgulha em ter algum amigo gay! Salve – nos, nesse, e em todos os dias.

LIVES

Para festejar nada melhor que curtir uma live. Para esta data especial o coletivo Batekoo faz uma live neste domingo (28) a partir das 15h e arrecada doações para a instituição de acolhimento Casa 1. Assim, você pode aproveitar a tarde com aula de dança de pancadão style, talk, DJ set do residente da Batekoo, Fresh prince da Bahia, e show de As Bahias e a Cozinha Mineira. Os interessados podem acompanhar no Youtube.

A primeira edição do Cabaret Pride Show também será neste domingo (28), a partir das 20h. A festa terá duas horas de programação com shows de dez grandes drag queens brasileiras, como Silvetty Montilla, Marcia Pantera e Alexia Twister.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

PRETOS NO TOPO

Luta e arte ganham espaço na voz do artista Prêtô

ARTE POR TODA PARTE

Olhar sobre o mundo: as obras de arte em colagens de Cristhian Lucas

CULTURA

Nesta quarta (18) ocorre o Ciclo de Leituras Dramáticas da Unicentro

Comentários