Ópera João e Maria é atração no Centro Cultural Mathias Leh

Ópera mostra aparato artístico e técnico para narrar o clássico conto alemão dos irmãos Grimm, com transposição à realidade do sertão brasileiro

Ópera João e Maria (Foto: Divulgação)

A ópera “João e Maria”, será encenada nesta quinta (17), às 14h30 e 19h30, no Centro Cultural Mathias Leh, na Colônia Vitória, Distrito de Entre Rios, em Guarapuava. A preços populares, os ingressos podem ser adquiridos aqui.

Assim, a superprodução composta por uma equipe de profissionais, João e Maria destina-se, especialmente, ao público infanto-juvenil. É a partir dos cinco anos de idade. No entanto, a ópera vem encantando pessoas de todas as faixas etárias e classes sociais, há seis anos.

De acordo com Salete Cercal, produtora executiva do Paraná, o ‘staff’ artístico e técnico aporta no Centro Cultural Mathias Leh sob aclamação de plateias,que lotaram teatros desde o início da turnê, em setembro. “A montagem atende a famílias inteiras. O propósito principal é formação de plateias, desde a tenra idade. Através de ações bem planejadas, trabalhamos a concepção de que a ópera não é uma arte inacessível. Os resultados são surpreendentes”.

Assim, para cativar o público infanto-juvenil, em especial, a produção do espetáculo promoveu ações didático-pedagógicas voltadas à inclusão cultural ao universo operístico. A principal delas: o workshop preparatório No Mundo da Ópera, oferecido às escolas e instituições – públicas e particulares – previamente agendadas, que obtiveram pacotes promocionais. Totalmente grátis, a atividade antecede a ida ao teatro.

Com lotações esgotadas, Londrina foi o ponto de partida da turnê estadual e passou por Cascavel. Após Guarapuava, a montagem prossegue para Ponta Grossa e Maringá.

João e Maria, a ópera (Foto: Divulgação)

EFEITOS ESPECIAIS

Um impressionante aparato artístico e técnico será empregado para narrar o clássico conto alemão dos irmãos Grimm (Jacob e Wilhelm), publicado em 1812, sob o título Hänsel und Gretel. Assim, efeitos especiais e legendas em português são alguns recursos cênicos utilizados para contar a história dos irmãos João e Maria. Num belo dia, vão colher amoras na floresta e, para não se perderem do caminho de casa, espalham migalhas de pão no chão.

Entretanto, a trilha serve de comida aos passarinhos. Assim, na tentativa de retornar ao lar humilde, os irmãos se defrontam com uma casa feita de doces, onde mora uma bruxa.

Convidados a entrar, João e Maria fartam-se de guloseimas e são mantidos reféns. Era uma emboscada.  A bruxa queria devorá-los. Após muitas aventuras e espertezas, compartilhadas com o público, os irmãos conseguem se livrar.

Conforme a produção, a empatia é estabelecida imediatamente com a plateia. Dessa forma, leveza e humor contornam o espetáculo, com tradução e adaptação da educadora musical Lúcia Vasconcelos Jatahy, responsável também pela direção artística. A versão em ópera é de autoria do compositor alemão Engelbert Humperdinck (1854-1921).

Uma das cenas de João e Maria (Foto: Divulgação)

HISTÓRIA ADAPTADA

 Na recriação do libreto em português, as aventuras de João e Maria foram transpostas à realidade do sertão brasileiro. De acordo com informações, possui inserções de elementos folclóricos como as parlendas (versinhos rimados) e brincadeiras infantis. Assim, a intenção é sensibilizar a plateia para questões sociais de nosso País, como a miséria e a fome.

Conforme Lúcia Vasconcelos Jatahy, a montagem contempla uma questão mais abrangente ao ser humano: a solidariedade. Ou seja, promove uma visão sensível do outro, estimula a empatia e a humanidade. Todavia, o fato de se passar no Sertão Nordestino tem a ver com a própria natureza da obra original, que tem um caráter forte nacionalista.

De acordo com a educadora musical, a idealização da ópera surgiu em seu doutorado em Canto pela Unicamp, em 2012. Mais especificamente durante pesquisa sobre Tradução para Performance Vocal. Luiz Néri Pfützenreuter e Jul Leardini assinam, respectivamente, as direções musical e cênica da versão paranaense da ópera João e Maria.

Contudo, a consagração de crítica e público ocorreu em 2017, com a segunda temporada da ópera no histórico Teatro Guaíra, na capital paranaense. As encenações ocorreram entre os meses de maio e junho. Em outubro daquele ano, João e Maria foi um dos destaques.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

LAZER

MON terá oficina de construção de brinquedos neste domingo

CULTURA PARANAENSE

Férias no Museu Paranaense valorizam povos originários do Paraná

DIFERENÇA PARA QUE É DIFERENTE

O bar mais charmoso da cidade, Stone Crow reabre e vem repaginado

Comentários