Conheça "O Lar das Crianças Peculiares", do visionário Tim Burton

Jonas Laskouski e Thales de Meneses, da Folha de S. Paulo

Guarapuava – O Lar das Crianças Peculiares (Miss Peregrine's Home for Peculiar Children) é o melhor filme de Tim Burton desde Sweeney Todd (2007). Além do requinte visual que é sua marca registrada, o diretor americano adapta um livro muito simpático que proporciona um roteiro engenhoso, sem os lapsos de ação que às vezes caracterizam sua obra.

Johnny Depp não participa da produção, e isso, após tantos personagens que Burton criou para ele, acaba sendo benéfico. Os únicos nomes conhecidos no elenco são Eva Green (Penny Dreadful), aos poucos se tornando nova musa do diretor, Samuel L. Jackson de vilão, canastrão como sempre e a grande dama, Judi Dench.

O filme se concentra no herói adolescente Jake, interpretado pelo promissor Asa Butterfield, o garoto de A Invenção de Hugo Cabret O Menino do Pijama Listrado. O jovem é muito apegado ao avô, que morre em circunstâncias misteriosas. Uma série de pistas leva Jake a um ilha do País de Gales, onde durante a Segunda Guerra Mundial o avô morou num orfanato.

Chegando lá, ele descobre que o lugar foi bombardeado em 1943 e todas as crianças que viviam ali morreram. Mas, como este é um filme de Tim Burton, nada é tão simples assim.

Bisbilhotando pelas ruínas do orfanato, ele descobre uma espécie de fenda temporal que o leva de volta a 1943, quando ele encontra as crianças peculiares que dão título ao filme. Ele se envolve com elas e sua protetora, a sua Peregrine, papel de Eva Green.

Os meninos parecem um mostruário dos tipos estranhos que Burton adora inserir em sua ficção. Uma menina é tão leve que usa botas com chumbo para não sair flutuando. Uma garota, de uns cinco anos, fofinha, é tão forte que pode levantar um carro. Outra coloca fogo em tudo o que toca e um garoto é invisível. Dois gêmeos misteriosos ocultam seu poder, que só é revelado numa cena crucial. Jacks e seu avô parecem ser os únicos normais que já passaram pelo lugar. 

Mas uma ameaça paira sobre o grupo, a possível chegada de seres monstruosos que podem ter relação com a morte do avô de Jake. Aos poucos, o rapaz vai descobrir que existem orfanatos semelhantes a esse espalhados pelo mundo, cada um com uma protetora como a senhora Peregrine, e todos em perigo.

A história ainda rende idas e vindas no tempo e ganha um ritmo alucinante no final. O confronto entre as crianças e os monstros é cheio de boas sacadas. 

O Lar das Crianças Peculiares só deixa uma dúvida: para qual público esse filme é destinado? Porque o enredo é até simples e pode ser contado facilmente para garotos pequenos. Mas, como Tim Burton não pisa no freio quando compõe seu delírio virtual. o clima gótico é às vezes muito assustador e inclui cenas de violência explícita.

É bom ver Burton de volta a sua melhor forma. A produção estreia em 3D nesta quinta no Cine XV, em Guarapuava e tem sessões diárias dubladas às 16h30 e legendadas às 19h e 21h30. O trailer, claro, você assiste na RedeSul TV

 

MAIS VÍDEOS

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com