“A cadeia do jeito que está é um inferno”, diz Conselho da Comunidade

Entidade faz reformas pontuais no cadeião de Guarapuava e cobra que o Estado faça a sua parte

Uma das celas do cadeião (Foto: Reprodução/G1)

Enquanto o projeto para a construção da Casa de Custódia em Guarapuava não sai do papel, o Conselho da Comunidade busca melhorar as condições físicas da cadeia pública. De acordo com o vice-presidente da entidade, Flavio Sichelero, “A cadeia do jeito que está é um inferno e para melhorar as condições algumas reformas pontuais estão sendo executadas”.

Para impedir a fuga de presos pelo telhado, o forro foi trocado por lajes que, além de dar melhor visibilidade no monitoramento, impede que buracos sejam feitos.
Segundo Sichelero, as celas agora contam com ventiladores e exaustores contra a umidade, já que há muitos casos de tuberculose, e para o melhor convívio entre os presos.

“A cadeia já vive superlotada, já não existe mais Ala A ou B, está tudo misturado. No seguro [espaço onde ficam os que foram presos por crimes sexuais e os que estão jurados de morte por outros presos], o espaço é para 15, mas está sendo ocupado por mais de 50, e se não houver um mínimo de condições, fica difícil não querer fugir”.

A construção de uma nova cozinha, da sala de estudos para mais de 50 condenados, implantação da eclusa para a entrada de presos, câmeras de segurança, laptops para aulas do Ceebja também estão entre as obras já concluídas. O Conselho da Comunidade também comprou contêineres que servirão como acesso para melhorar o trânsito entre as galerias até o pátio de sol e também contribuir para melhor monitoramento contra fugas.

“Nós estamos fazendo a nossa parte, mas é preciso que o Estado compareça. Precisamos da Casa de Custódia com muita urgência. Precisamos de força política para que o projeto seja executado”.

Os recursos utilizados pelo Conselho da Comunidade pertencem ao Fundo Penitenciário Nacional (Funpen). “Estamos usando o dinheiro pago pelo crime para combater o próprio crime”, disse Sichelero.

Relacionadas

VAMOS AJUDAR?

ONG Patas com Patas pede doações para lares temporários de animais

VIOLÊNCIA

Após briga, jovem de 17 anos morre esfaqueada em Cantagalo

PERIGO

Bandidos armados roubam casa no Centro de Guarapuava

Comentários