Arraiá do Céu promete encantar com as apresentações típicas

A festa tradicional de São João é neste sábado (11) na Escola Pedacinho do Céu/Millenium.
O Arraiá do Céu tem início a partir das 14 horas, e devido a chuva os convidados, pais e alunos serão recebidos na Igreja Sagrado Coração de Jesus, a 100 metros da escola, na Vila Pequena, ao lado do Supermercado Unimax.
No festejo haverá tendas de comes, bebes e brincadeiras. Além, dos brinquedos infláveis e das apresentações de danças típicas. Aliás, nos últimos dias, os alunos de todas as séries da instituição de ensino ensaiaram os passos e as melodias para fazer bonito e arrancar aplausos.
Segundo a diretora da escola, Vanessa Tullio, o objetivo da escola com a festa julina é o conhecimento cultural que envolve a festa, que não possui caráter religioso. “Além é claro da diversão e da socialização que envolve pais, alunos e a escola”, explica.
Durante a preparação para o irraiá, os alunos também tiveram conhecimento da origem da festa junina. De acordo com a pedagoga, existem duas explicações para o termo festa junina. A primeira explica que surgiu em função das festividades ocorrem durante o mês de junho. Outra versão diz que está festa tem origem em países católicos da Europa e, portanto, seriam em homenagem a São João. No princípio, a festa era chamada de Joanina.
Vanessa Tullio diz que de acordo com historiadores, a festividade foi trazida para o Brasil pelos portugueses, ainda durante o período colonial (época em que o Brasil foi colonizado e governado por Portugal). “Nesta época, havia uma grande influência de elementos culturais portugueses, chineses, espanhóis e franceses. Da França veio a dança marcada, característica típica das danças nobres e que, no Brasil, influenciou muito as típicas quadrilhas. Já a tradição de soltar fogos de artifício veio da China, região de onde teria surgido a manipulação da pólvora para a fabricação de fogos. Da península Ibérica teria vindo a dança de fitas, muito comum em Portugal e na Espanha”, explica.
Salienta que todos estes elementos culturais foram, com o passar do tempo, misturando-se aos aspectos culturais dos brasileiros (indígenas, afro-brasileiros e imigrantes europeus) nas diversas regiões do país, tomando características particulares em cada uma delas.

Na FOTO, os alunos durante ensaio.

Relacionadas

PANDEMIA DA COVID-19

80ª morte por covid-19 é confirmada em Guarapuava

PANDEMIA

Saúde divulga Nota Orientativa sobre prevenção de variantes do coronavírus

MAIS CHUVA

Última semana de janeiro será de tempo instável em Guarapuava

Comentários