Corpus Christi será celebrado com procissão e missa campal em Guarapuava

Data celebra o mistério da Eucaristia e o Sacramento do Corpo e do Sangue de Jesus Cristo

Neste 20 de junho, a Igreja Católica celebra a festa de Corpus Christi – em latim – Corpo de Cristo. A data celebra solenemente o mistério da Eucaristia, o Sacramento do Corpo e do Sangue de Jesus Cristo. Em todo o mundo, há sempre uma grande festa com procissões, missas e agradecimentos. “A festa é uma forma de manifestar publicamente a fé na eucaristia. O que celebramos diariamente, nós manifestamos publicamente nas ruas de nossas cidades”, afirmou o pároco da catedral, padre Jean Patrik Soares.

No decanato Centro da Diocese de Guarapuava, que compreendem as paróquias do perímetro urbano do município, uma grande festa vem sendo preparada como em outros anos. Seguindo o calendário de 2018, a procissão será na parte da manhã. A caminhada começa na paróquia Santa Terezinha, às 9h com chegada prevista às 9h50, na Praça da Fé. Dom Antônio Wagner da Silva, bispo diocesano, presidirá a missa campal.

(Foto: Maurício Toczek)

PROCISSÃO

A procissão percorrerá as seguintes ruas: avenida Moacir Júlio Silvestre, em frente à paróquia Santa Terezinha, passando pela rua Santa Catarina, entrando, em seguida, na rua Bahia,chegando até a praça da Praça da Fé, onde haverá a celebração.

A confecção do tradicional tapete que enfeita as ruas da cidade começou na madrugada e cada paróquia foi responsável por um trecho e um tema, segundo cronograma previamente estabelecido.

A festa sempre é em uma quinta feira, em alusão à Quinta feira Santa, quando se deu a instituição deste sacramento. Durante a última ceia de Jesus com seus apóstolos, Ele mandou que celebrassem Sua lembrança comendo o pão e bebendo o vinho que se transformariam em seu Corpo e Sangue.

Através da Eucaristia, Jesus mostra que está presente ao nosso lado, e se faz alimento para nos dar força para continuar. Jesus nos comunica seu amor e se entrega por nós.

(Foto: Maurício Toczek)

ORIGEM DA CELEBRAÇÃO

A celebração teve origem em 1243, em Liège, na Bélgica, no século XIII, quando a Freira Juliana de Cornion teria tido visões de Cristo demonstrando-lhe desejo de que o mistério da Eucaristia fosse celebrado com destaque.

Em 1264, o Papa Urbano IV através da Bula Papal “Trasnsiturus de hoc mundo”, estendeu a festa para toda a Igreja, pedindo a São Tomás de Aquino que preparasse as leituras e textos litúrgicos que, até hoje, são usados durante a celebração. Compôs o hino “Lauda Sion Salvatorem” (Louva, ó Sião, o Salvador), ainda hoje usado e cantado nas liturgias do dia pelos mais de 400 mil sacerdotes nos cinco continentes.

A procissão com a hóstia consagrada conduzida em um ostensório é datada de 1274. Foi na época barroca, contudo, que ela se tornou um grande cortejo de ação de graças.

(Foto: Maurício Toczek)

NO BRASIL

No Brasil, a festa passou a integrar o calendário religioso de Brasília, em 1961, quando uma pequena procissão saiu da Igreja de madeira de Santo Antônio e seguiu até a Igrejinha de Nossa Senhora de Fátima. A tradição de enfeitar as ruas surgiu em Ouro Preto, cidade histórica do interior de Minas Gerais. A celebração de Corpus Christi é composta de uma missa, procissão e adoração ao Santíssimo Sacramento.

A procissão lembra a caminhada do povo de Deus, que é peregrino, em busca da Terra Prometida. No Antigo Testamento esse povo foi alimentado com maná, no deserto. Hoje, ele é alimentado com o próprio Corpo de Cristo.

Durante a Missa o celebrante consagra duas hóstias: uma é consumida e a outra, apresentada aos fiéis para adoração. Essa hóstia permanece no meio da comunidade, como sinal da presença de Cristo vivo no coração de sua Igreja.

 

Relacionadas

VAMOS AJUDAR?

ONG Patas com Patas pede doações para lares temporários de animais

EDUCAÇÃO

Educação ganha personagens para interagir com estudantes

UTILIDADE PÚBLICA

Energisa divulga desligamento programado para Guarapuava

Comentários