Crise: médicos começam a se desligar do Hospital Santa Tereza, em Guarapuava

Diretoria da instituição realizou reunião de emergência para discutir o quadro financeiro com o Legislativo Municipal. Déficit mensal é de R$ 400 mil

O problema financeiro do Hospital Santa Tereza, que teve uma solução paliativa em abril, veio à tona, novamente, nesta semana, em Guarapuava. Atualmente, uma das principais instituições de saúde da região possui um déficit de R$ 400 mil mensais, além de possuírem, também, uma dívida de cerca de R$ 800 mil com o corpo clínico do hospital. Frente à crise, três cirurgiões já pediram desligamento da instituição e outros médicos demonstram interesse em também se desligarem caso uma solução concreta não seja apresentada.

(Foto: Taís Nichelle/Ascom)

De acordo com o administrador do hospital, Newton Elias Gonçalves, os investimentos recentes anunciados pelo Governo do Estado para o Santa Tereza não suprem a necessidade da instituição para que os serviços continuem sendo prestados. O quadro econômico da instituição foi exposto por Newton em uma reunião de emergência nessa terça feira (5), na Câmara de Vereadores de Guarapuava, e reuniu diversas lideranças do município.

“O hospital recebeu 800 mil do Estado para quitar metade da dívida com o corpo clínico, em abril. Mas este valor foi apenas um adiantamento de recursos através da Secretaria de Saúde do Estado. Este valor não aumenta a nossa receita. Ele está sendo descontado em 10 parcelas de R$ 80 mil”. A dívida com o corpo clínico, em abril, era de R$ 1,6 milhão.

Quando o cenário de crise se potencializou, em abril, através da primeira manifestação dos médicos de possível desligamento em massa, além do adiantamento de R$ 800 mil, o Governo do Estado liberou também um recurso de R$ 300 mil para a implantação e manutenção do ambulatório de ortopedia no hospital. Deste valor, porém, o hospital gastará R$ 270 mil só para manter o ambulatório.

“Deste investimento, só temos uma receita de R$ 30 mil. Diante disso o hospital continua operando em déficit, não conseguindo pagar os médicos e manter outros serviços”.

REUNIÃO

Na reunião dessa terça feira (5), vereadores e outras lideranças políticas do município, como o secretário de saúde, Celso Góes, manifestaram interesse em realizar articulações para salvar o hospital, porém, até o momento, nenhuma medida concreta foi apresentada.

Para esta quarta (6), às 10h, foi marcada uma nova reunião na Câmara, agora com participação de empresários, diretores e funcionários do Santa Tereza, além de representantes da Associação Comercial e Empresarial de Guarapuava (ACIG).

Relacionadas

INFRAESTRUTURA

Ruas da comunidade da Paz recebem recape asfáltico em Candói

FOI POUCO!

Apesar da chuva, estado de alerta pela estiagem continua em Prudentópolis

IMPORTANTE

Pesquisa da Unicentro busca mapear grupos de risco para Covid-19

Comentários