DER nega às concessionárias reajuste das tarifas de pedágio

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) negou, nesta segunda-feira (23), os aumentos das tarifas de pedágio requisitados por seis concessionárias que operam no Paraná. As empresas, responsáveis pela administração de 2,5 mil quilômetros de rodovias, protocolaram pedidos para majorar os preços em até 2,56 % a partir do dia 1º de dezembro.

O índice de reajuste ficou em 1,4 %. Entretanto, com as variações nos preços nas cancelas de pedágio, o aumento pode chegar a 2,56 % devido aos arredondamentos dos valores.

O secretário dos Transportes, Rogério W. Tizzot, reforçou que qualquer aumento, por menor que seja, vai penalizar a economia do Estado. “As tarifas são abusivas, encarecem o transporte e são transferidas para toda a cadeia produtiva”.

Somente em 2009 as empresas devem arrecadar cerca de R$ 1 bilhão com a cobrança de pedágio. Desde 1998, primeiro ano de implantação do sistema, mais de R$ 9 bilhões (em valores corrigidos) entraram no caixa das concessionárias. “Não há justificativa para um novo aumento. As empresas já ganham demais para poucos benefícios”, disse Tizzot.

Nos ofícios encaminhados às empresas, o DER determina a não-aplicação do reajuste até que sejam julgadas as ações judiciais que tratam de aspectos econômico-financeiros do contrato. Há diversas ações tramitando em diferentes tribunais discutindo reajustes de anos anteriores, os termos aditivos e os próprios contratos.

“São ações que buscam tornar as tarifas mais baratas para a economia do Paraná. O DER não autoriza um novo aumento enquanto essas discussões ocorrem na Justiça”, explicou Tizzot.

PEDIDOS – Das concessionárias, a Viapar – que atua na região noroeste entre Maringá e Cascavel e até Loanda – e a Rodonorte – responsável pela ligação entre Curitiba e o norte do estado – requisitaram aumentos de até 2,56 % nas cancelas.

Nas praças da Viapar em Floresta, em Corbélia e em Campo Mourão, a tarifa para carros pode saltar de R$ 7,80 para R$ 8,00. Mesmo aumento foi pedido pela Rodonorte para as tarifas de veículos leves que passam pela praça de Palmeira, de R$ 7,80 para R$ 8,00.

LITORAL – O reajuste, caso seja aplicado, deve ter impacto negativo também no litoral. Moradores, comerciantes e veranistas, que já consideram a tarifa excessivamente alta, podem pagar ainda mais para trafegar pela BR-277.

A concessionária Ecovia, que gerencia as rodovias que vão às praias paranaenses, quer aumentar a tarifa para carros de R$ 12,50 para R$ 12,70 e para caminhões de R$ 10,50 para R$ 10,70.

Confira alguns dos pedidos de aumento

Viapar
Praça de Floresta

Tarifa Atual (carro): R$ 7,80
Tarifa Requisitada pela empresa (carro) : R$ 8,00

Ecocataratas
Praça de São Miguel do Iguaçu

Tarifa Atual (eixo): R$ 9,20
Tarifa Requisitada pela empresa (eixo) : R$ 9,40

Caminhos do Paraná
Praça de Irati

Tarifa Atual (carro): R$ 6,60
Tarifa requisitada pela empresa (carro) : R$ 6,70

Econorte
Praça de Jataizinho

Tarifa Atual (carro): R$ 11,50
Tarifa requisitada pela empresa (carro) : R$ 11,70

Rodonorte
Praça de Palmeira

Tarifa Atual (carro): R$ 7,80
Tarifa requisitada pela empresa (carro) : R$ 8,00

Ecovia
Praça de São José dos Pinhais

Tarifa Atual (carro): R$ 12,50
Tarifa Requisitada pela empresa (carro) : 12,70

Tarifa Atual (eixo): R$ 10,50
Tarifa Requisitada pela empresa (eixo) : 10,70

Fonte: AEN

Relacionadas

SOLIDARIEDADE

Bebê precisa de medicamento que custa R$ 12 milhões

ALERTA

Procon alerta sobre perigo de kit 'fake' de vacina contra a covid-19

HOMENAGEM

Praça da Ucrânia terá monumento esculpido com ícones da cultura

Comentários