Em menos de dois dias, duas irmãs morrem em Campina do Simão

Emanuelle de 13 anos estava na UTI da covid-19, no HSV. Mas Valentina de 10 anos, passou mal na noite de quinta e morreu na madrugada de sexta

Em menos de dois dias, duas irmãs morrem em Campina do Simão (Foto: Reprodução/Pixabay)

Uma família de Campina do Simão vive o drama de perder duas filhas em dois dias. Com caixões lacrados e velórios rápidos, os sepultamentos ocorreram poucos mais de uma hora depois do corpos chegarem na sede do município.

Entretanto, o que levou à morte das duas irmãs ainda é uma incógnita. De acordo com a Central de Triagem de Guarapuava, um dos atestados de óbito acusa suspeita da covid-19. O outro, bronco-aspiração. Porém, os exames oscilam entre negativo e positivo.

De acordo com a secretária municipal de Saúde de Campina do Simão, Marilda Pilizzari, há cerca de três semanas a adolescente Emanuelle Brasil de 13 anos, foi à unidade básica de saúde, com amigdalite. O médico que a atendeu prescreveu antibiótico.

“Isso foi uma semana antes dela ser internada. Mas quando ela voltou à UBS uma semana depois, já estava em estado grave”.

NA UTI EM GUARAPUAVA

No Hospital São Vicente em Guarapuava, a adolescente foi internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da covid-19 e foi entubada. “O resultado do teste rápido foi positivo para a covid-19. Porém, o resultado do exame feito pelo Lacen deu negativo”.

Entretanto, Emanuelle morreu nesse domingo (10) e o atestado de óbito, consta como causa da morte, a suspeita de coronavírus. O caixão foi lacrado e apenas uma hora de velório, segundo Marilda Pilizzari.

Entretanto, a irmã de Emanuelle, Valentina Brasil de 10 anos, passou mal na noite de quinta (7) e na madrugada de sexta (8), morreu no hospital. O velório também foi de apenas uma hora e com caixão lacrado como manda o protocolo do Ministério da Saúde para casos da covid-19.

De acordo com a secretária de Saúde de Campina do Simão, Marilda Pilizzari, o teste rápido deu negativo para a covid-19. “Foi coletado material pós-morte e encaminhado para o Lacen”.

Conforme a secretária, a família das meninas não fizeram exames porque não possuem sintomas da doença.

PROTOCOLO MINISTÉRIO DA SAÚDE

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

OLHO VIVO

OAB-Paraná ingressou com a Ação Civil Pública contra ‘O Solucionador'

SONHO CONCRETIZADO

Ratinho Jr. entrega primeiro condomínio exclusivo para idosos no Paraná

BALANÇO

Setembro mantém tendência de queda casos de covid-19 em Guarapuava

Comentários