Em Pinhão, castração ética contém número de cães abandonados

Parceria entre a administração municipal e entidades não governamentais de Pinhão prevê a castração, medicamentos, cuidados e lar provisório pós-operatório

Cachorro sendo castrado (Foto: Ascom/Prefeitura de Pinhão)

A proliferação de cães nas ruas da cidade é uma das preocupações da administração municipal de Pinhão. Para isso, foi criado o programa Panaceia prevendo o controle ético de animais. A Associação Comunitária dos Moradores de Pinhão (Acomupi) é parceira.

De acordo com a prefeitura, o município auxilia com a castração de fêmeas, fornecimento de ração e medicamentos pós-operatório. Já a  associação repassa às ongs ‘Abrace e Adote’ e ‘Cão Migão’, os produtos e serviços fornecidos pela prefeitura. O programa ainda conta com lares temporários para cuidados pós-operatórios.

Assim, sob a responsabilidade da Secretaria de Meio Ambiente, Urbanismo e Habitação, na primeira etapa foram feitas 46 cirurgias de esterilização. De acordo com a Secretaria, a estimativa foi de que mais de quatro mil animais deixaram de ser abandonados, com o controle de natalidade.

As ações na segunda etapa do programa serão divididas entre as duas ONGs. A ‘Abrace e Adote’ será responsável por selecionar e encaminhar as fêmeas para esterilização; e a ‘Cão Migão’ fica com o acolhimento e campanhas de adoção.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

Pérola do Oeste divulga linhas Interbairros aos domingos e feriados

DE 'DAR ÁGUA NA BOCA'

Como já é tradição, hoje (26) tem pastel da Catedral em Guarapuava

NOVA 'EXPLOSÃO'

'Explosão da covid-19': Guarapuava confirma 110 casos e a 30ª morte

Comentários