Energisa Sul-Sudeste alerta: pipa e rede elétrica não combinam

Brincadeira popular deve ser feita longe dos fios de energia

*Reportagem com vídeo

Brincadeira popular deve ser feita longe dos fios de energia (Foto: Ascom/Energisa)

Dias de tempo aberto e céu ensolarado. Cenário perfeito para o divertido hábito de soltar pipa ou papagaio não é mesmo? Mas atenção: essa brincadeira requer cuidados especiais. Isso para que não se transforme em acidentes com as redes de energia e provoque a falta de energia para os consumidores.

De acordo com Fernando Bombarda de Moraes, coordenador de Saúde e Segurança da Energisa Sul-Sudeste, a brincadeira de soltar pipa deve ser feita longe dos fios de energia.

Procure espaços como parques, praças e áreas abertas para brincar com segurança e sem risco da pipa ficar presa na rede elétrica. E caso ela enrosque na rede, jamais tente retirá-la. Não use canos, vergalhões ou bambus para alcançá-las ou desenrolá-las dos fios. É nesta hora que a criança ou jovem pode receber uma descarga elétrica que será fatal. E não é apenas na rede elétrica que mora o perigo. Quem quer brincar com segurança deve saber que não pode sair correndo pela rua, subir em árvore, muro ou laje para recuperar a pipa.

Outro fator negativo da brincadeira são os desligamentos de energia provocados por restos de pipa presos nas redes.

“Fazemos a limpeza rotineiramente nas redes, mas sempre encontramos restos de pipas presas às estruturas. Com a chuva, esses materiais molhados acabam causando curto-circuito ou vazamento de energia, ocasionado a interrupção da energia. E mais, dependendo da situação, o restabelecimento pode demorar e causar ainda mais transtorno, pois nossas equipes precisam analisar todo o sistema elétrico”.

O desafio de achar um espaço aberto, sem rede por perto, nas áreas urbanas das cidades é grande. Por isso, a Energisa Sul-Sudeste chama a atenção dos responsáveis, como os pais, para que crianças e jovens não se exponham aos riscos e possam brincar com segurança.

FIQUE ATENTOS AS ORIENTAÇÕES

 – Dê preferência para as pipas sem rabiolas, pois na maioria dos casos é esta parte que se prende aos fios, causando acidentes;
– Jamais utilize linha metálica, como fio de cobre de bobinas, para fazer sua pipa. E não use “cerol” na linha, porque essa mistura de cola e caco de vidro fere e mata;
– Não solte pipas em dias nublados e chuvosos, principalmente se houver relâmpagos. Tome cuidado com ruas e lugares movimentados, principalmente quando andar de costas para observar as pipas no céu. Ao correr atrás de pipas, não deixe de observar o trânsito, evitando atropelamentos;
– Não suba em lajes e telhados para empinar pipas e também não suba em muros para recuperar uma pipa presa no galho da árvore;
– Nunca suba no poste para tentar recuperar a pipa presa aos fios ou equipamentos da rede elétrica.

BALÕES E FOGOS DE ARTIFÍCIOS TAMBÉM REPRESENTAM RISCOS

Outra orientação importante é sobre quem solta balões nas festas juninas e julinas. “Infelizmente ainda observarmos balões nos céus. Essa prática é crime e coloca em risco a segurança de muita gente, principalmente quando estes caem sobre a rede elétrica”, alerta Fernando.

Segundo ele, durante as festas, é preciso ficar atento a outros cuidados na hora de colocar enfeites, fazer instalações elétricas ou montar as barracas.

“Os enfeites como balões e bandeirolas não devem ser amarados nos postes da concessionária e nem confeccionados em papel metalizado. Sempre utilize barbante de algodão, já que outros materiais podem provocar choques elétricos”.

O engenheiro alerta ainda, para que as crianças não brinquem com fogos de artifício. “É fundamental destacar que somente os adultos podem manuseá-los, pois podem provocar queimaduras graves e, se atingirem a rede elétrica, pode causar curto-circuito, interrompendo o fornecimento de energia para a localidade”.

CANAIS DE ATENDIMENTO AO CLIENTE

    • Aplicativo para celular Energisa On (disponível para iOS, Android e Windows Phone)
    • www.energisa.com.br
    • www.facebook.com/energisa
    • Agências de atendimento presencial
    • Call center – 0800 70 10 326
    • Ouvidoria – 0800 70 10 324

Relacionadas

NOVA 'EXPLOSÃO'

'Explosão da covid-19': Guarapuava confirma 110 casos e a 30ª morte

NÃO ACABOU

5ª Regional perde posto de menor índice de contaminação do PR

LUTO

Diego Maradona morre aos 60 anos em Tigre, na Argentina

Comentários