Festa com algazarra termina na delegacia de Guarapuava

A festa foi denunciada por vizinhos no bairro Conradinho. Duas adolescentes estavam na casa, a convite de um jovem de 19 anos

Festa com algazarra termina na delegacia de Guarapuava (Foto: Arquivo/RSN)

Uma equipe da Rádio Patrulha da Polícia Militar atendeu a uma ocorrência de perturbação do sossego e resistência no começo da madrugada deste sábado (29) em Guarapuava.

Assim, conforme a PM, por volta de 0h07 equipes da Rádio Patrulha foram até a rua Rubens Fleury da Rocha, no bairro Conradinho. De acordo com vizinhos, ocorria uma festa com algazarra no local, e estava perturbando a tranquilidade dos moradores.

No endereço, os policiais constataram som alto, algazarra e consumo de bebida alcoólica. Além disso, conforme a polícia, entre os participantes da festa havia duas adolescentes, sendo uma de 15 anos e a outra de 14 anos.

As duas jovens disseram aos policiais que participam com frequência das festas na casa, a convite de um rapaz de 19 anos que é responsável pela festa. A equipe perguntou se as adolescentes tinham ingerido bebida alcoólica. As jovens disseram que tomaram meia lata de cerveja.

AGRESSÃO

O rapaz responsável ficou agressivo e ao receber voz de prisão tentou resistir golpeando um soldado com socos, sendo necessário uso de força para contê-lo. De acordo com a PM, durante a imobilização do jovem abordado, dois homens que estavam na casa, tentaram impedir a prisão.

Conforme os policiais os homens eram o pai do abordado, de 52 anos e um amigo de 18 anos, que investiram contra a equipe. Também foi necessário o uso de força para contê-los. O som foi apreendido e os envolvidos encaminhados à 14ª SDP para os procedimentos legais.

Os pais das adolescentes compareceram à delegacia para acompanhar os procedimentos. As duas jovens menores fizeram teste do bafômetro, que teve resultado negativo para a ingestão de bebida alcoólica. Os vizinhos que denunciaram a perturbação, não tiveram interesse na representação.

De acordo com a Polícia Militar, o delegado de plantão na 14ª SDP informou que não faria o auto prisão em flagrante, por não haver constatação de consumo de bebida alcoólica das menores. Além disso, por não haver vítima para representar contra a perturbação do sossego.

Por fim, foi feito um termo circunstanciado e encaminhado ao cartório do 16º BPM.

Leia outras notícias no Portal RSN.

 

Relacionadas

COVID-19

Coronavírus: sobe para 104 o número de suspeitos em Guarapuava

QUASE PRONTO

Hospital Regional poderá ter ala para atender pacientes com coronavírus

ACIDENTE

Acidente deixa nove bairros sem energia em Guarapuava

Comentários