Fotógrafos enriquecem acervo histórico do Teatro Guaíra

Curitiba – Um importante acervo fotográfico foi doado ao setor de Preservação e Memória do Centro Cultural Teatro Guaíra. São grandes ampliações de fotos que foram utilizadas numa exposição, realizada em abril deste ano, que homenageou a bailarina, coreógrafa e professora Rita Pavão. O material foi doado pelo fotógrafo Reginaldo Fernandes e é composto de material produzido por alguns dos fotógrafos mais conhecidos do Paraná: Alberto Viana, Júlio Covello, Karin van der Broock, Luciana Petrelli e o próprio Reginaldo Fernandes.
A iniciativa se reveste de importância porque, em boa parte dos casos, o material que serve à essa modalidade de exposição acaba por ter destino inadequado e ao qual a comunidade, como um todo, perde o acesso. A doação feita pelo grupo de fotógrafos ao Teatro Guaíra, que revela desprendimento ímpar nesta área, enriquece o acervo histórico da cultura do Paraná e disponibiliza um material de excelente qualidade sobre Rita Pavão, uma das figuras mais importantes da dança local. O material está sendo devidamente catalogado e poderá, inclusive, servir a futuras exposições.
Nascida em 1953, Rita de Cássia Pavão tornou-se a conhecida e celebrada bailarina, professora e coreógrafa Rita Pavão, um dos nomes de maior expressão da dança moderna no Paraná.
Iniciou seus estudos de balé aos cinco anos de idade, recebendo o apoio de seus pais que eram profissionais da área de ciências exatas. O pai era Engenheiro e a mãe catedrática em Estatística.
Rita estudou dança na Universidade de San Diego, por seis anos, bacharelando-se em Belas Artes em Dança Moderna e Coreografia, na School of Performing Arts da United States International University. Nesse período, voltou a Curitiba, em 1977, e montou o grupo Esphera. Em 1977, coreografou para o Balé Teatro Guaíra os espetácilos C.B. On The Rock (música de Stuparik) e Let It Be. No ano seguinte, voltou aos Estados Unidos para concluir o mestrado.
Na década de 80, Rita Pavão criou um estúdio de dança moderna que levava seu próprio nome. Foi uma das academias mais conhecidas de Curitiba, em função das novidades que apresentava em dança e pela freqüência de alunos das classes mais abastadas. O Studio Rita Pavão foi criado em 1981, fase mais atuante da carreira da bailarina, quando montou e apresentou diversos espetáculos na cidade. Rita ficou conhecida pelo seu pioneirismo na dança moderna do Paraná e como profissional com atuação definitiva para a difusão do gênero.
Em 1982 montou um grupo que reuniu não só bailarinos mas também atores, músicos, cantores e artistas plásticos: a União de Artistas Independentes Contemporâneos (Uaic), que tinha suas atividades voltadas para a pesquisa, dança e para o teatro experimental. Associou-se posteriormente ao bailarino Hugo Dellavale e voltou seus trabalhos ao balé clássico. Passou a dedicar-se ao aprimoramento acadêmico, cujo a preocupação central era ligar dança à consciência corporal.
Nos últimos tempos de sua vida, desenvolveu um trabalho teatral e coreográfico no Espaço Cultural Glasser e dividia o seu tempo entre Curitiba e São Paulo, onde fazia novo pós-graduação.
Rita Pavão faleceu em Curitiba, no dia 1º de agosto de 2006.

Relacionadas

BOLETIM COVID

HSV confirma 90% de ocupação de leitos de UTI privados da covid-19

SONHO DA CASA PRÓPRIA

Interessados em casas da Cohapar têm até dia 24 para se inscrever

ENSINO SUPERIOR

Vestibular da Unicentro segue com inscrições abertas até 4 de fevereiro

Comentários