Gaeco e Gepatria cumprem mandados contra fraudadores do CIS Centro-Oeste, na gestão anterior

Grupo criminoso estava instalado em Palmital, aponta investigação. O presidente, na época, era o ex-prefeito de Laranjal, João Eliton Dutra

*Matéria atualizada às 13h52 para inclusão de mais informações.

Os núcleos de Guarapuava do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e do Grupo Especial de Proteção ao Patrimônio Público (Gepatria), órgãos do Ministério Público do Paraná, cumpriram na manhã desta quarta feira (5), sete mandados de busca e apreensão no âmbito da Operação Milkman, que apura a prática de crimes de fraude a licitação, lavagem de dinheiro, falsificação ideológica e corrupção praticados por organização criminosa instalada no município de Palmital.

Os sete mandados foram cumpridos em Curitiba, Palmital e Laranjal, tendo como alvos residências, empresas e dois escritórios de advocacia. De acordo com as investigações, por meio de uma empresa criada em nome de um “laranja”, o grupo criminoso fraudou licitações do Consórcio Intermunicipal de Saúde Centro-Oeste, que tem sede em Guarapuava, e desviou recursos públicos para seus sócios de fato, que mantinham vínculos pessoais e/ou profissionais com as administrações públicas municipais de Laranjal e Palmital.

A investigação constatou, ainda, indícios do crime de corrupção praticado pelo ex-procurador e pelo ex-prefeito de Laranjal na gestão 2014-2016.

Além dos mandados de busca e apreensão, o MP-PR também obteve o bloqueio judicial do valor R$ 5.675.304,53 pertencentes à empresa e aos investigados suspeitos de participar da organização criminosa.

Relacionadas

ELEIÇÕES

Pelos 'bastidores da política' em Guarapuava

NOVOS CASOS

Guarapuava confirma quatro novos casos de covid-19

LAVAGEM DE DINHEIRO

Policiais cumprem mandado em Guarapuava em investigação do RJ

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com