João do Napoleão é condenado a devolver dinheiro aos cofres públicos

Presidente da Câmara de Vereadores de Guarapuava foi condenado por improbidade junto com ex-assessor. Ambos terão que devolver R$ 84 mil. Cabe recurso

João do Napoleão é condenado a devolver dinheiro aos cofres públicos (Foto: Arquivo/RSN)

O presidente da Câmara Municipal de Vereadores, João Carlos Gonçalves, o João do Napoleão foi condenado por improbidade administrativa. A sentença foi divulgada nessa quarta (17) e proferida pela juíza Heloísa Mesquita Fávaro, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Guarapuava.

A condenação também envolve o ex-assessor Sebastião Valmir de Souza, contratado por João do Napoleão em 2015, como diretor legislativo.

De acordo com o Ministério Público, autor da ação, o presidente da Câmara, lavrou o decreto fraudulento sob nº. 03/2015 a fim de que o ex-assessor percebesse vencimentos como se atuasse na função de Diretor de Gestão Legislativa, exercendo, porém, de fato, o cargo de Assessor Parlamentar.

Já Sebastião de Souza, foi condenado por enriquecimento ilícito, por ceder seu nome e concordar com a nomeação em um cargo, porém exercendo outro. Assim sendo, ele recebia 57% a mais do que teria direito como assessor parlamentar.

Desse modo, segundo a juíza, ambos terão que devolver R$ 84 mil aos cofres públicos. Entretanto, na decisão que tem 19 páginas, a juíza pede ainda a perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos do presidente por cinco anos. Porém, João do Napoleão pode recorrer da decisão e continuar exercendo o cargo.

Além do ressarcimento aos cofres públicos, Sebastião perde a função pública, e tem os direitos políticos suspensos por oito anos. Coube ainda o recolhimento de multa.

Entretanto, foi julgado improcedente o pedido feito pelo Ministério Público de indenização por dano moral coletivo.

Leia outras notícias no Portal RSN.

 

 

Relacionadas

NEGOCIAÇÃO

Procon expede 'recomendação administrativa' para ensino privado

ACERTO DE CONTAS

Adolescente acusado por furto é ameaçado pelas vítimas em Palmital

AFETANDO A UNIVERSIDADE

Unicentro tem 35% do orçamento de custeio contingenciado

Comentários