Justiça social e mulheres são pautas da pré-candidata Cristiane Wainer

Conforme a pré-candidata a vereadora, o intuito é lutar em defesa da justiça social, dos serviços e servidores públicos. E claro, de todas as mulheres

Justiça social e mulheres são pautas da pré-candidata Cristiane Wainer (Foto: Divulgação)

Cristiane Aparecida Wainer está lançando a pré-candidatura a vereadora de Guarapuava pelo Partido dos Trabalhadores (PT). A guarapuavana de coração é natural de Laranjeiras do Sul. Cris, como é conhecida, é formada em Pedagogia pela Unicentro. Ela também é pós-graduada em Educação Física Escolar. A professora da rede pública municipal atua no ramo há 21 anos.

Atualmente, Cris está afastada do Sindicato dos Funcionários Públicos e Professores Municipais. Mas, ela salienta que ocupou a presidência até maio de 2020. Além disso, comenta que participou de vários Conselhos de Controle Social, como o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica. Bem como o de alimentação escolar e o Conselho do Plano Diretor de Guarapuava (Concidade).

Cristiane também atuou como dirigente sindical da Confederação Nacional dos trabalhadores do Serviço Público Municipal.

A VEIA POLÍTICA

De acordo com ela, a vontade de se lançar como candidata às eleições surgiu porque já atuou em frentes sindicais. “Sempre acompanhei a aplicação orçamentária do executivo. Então, também sempre estive por perto da atuação do legislativo”.

Além disso, afirma que ter poucas mulheres atuantes no poder legislativo é uma preocupação. “Somos a maioria do eleitorado. Por isso, precisamos ocupar cargos também. Entendemos muitos problemas porque vivenciamos de perto”. Conforme a pré-candidata é preciso ocupar espaços de debate e participar ativamente da construção do município. Desse modo, estando dentro da política.

Segundo dados compilados pela Inter-Parliamentary Union no Brasil, pouco mais de 10% dos deputados federais são mulheres. Assim, entre 193 países, o Brasil está em 154º com menos parlamentares do sexo feminino.

A Lei nº 9.504/1997, que rege as eleições, estabeleceu que cada partido ou coligação deve reservar pelo menos 30% das vagas para as candidaturas de mulheres. Conforme reportagem da Folha de Londrina, entre os vereadores do Brasil, elas são menos de 12%. Reforçando a necessidade das candidaturas femininas.

(Imagem: Reprodução/Revista Claudia)

Nos últimos anos, o mundo vivenciou um aumento de debate em torno de questões voltadas ao feminino. Entram em pauta assuntos como assédio, maternidade, carreira e política. Assim, as mulheres seguem ganhando certo espaço no cenário político. Mas segundo Cris, ainda é preciso muito mais. Portanto, apenas o direito ao voto não é suficiente. O mais desejado por Cristiane envolve a inclusão de mulheres dentro da câmara.

Por isso, meu intuito é lutar em defesa da justiça social. Assim como dos serviços e servidores públicos. E claro, levantar a bandeira por todas as mulheres.

A justiça social se baseia na construção moral e política pensando na igualdade dos direitos. Do mesmo modo que na solidariedade coletiva. Com isso, unindo os pilares econômico e social.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

ADRENALINA

Shopping Cidade dos Lagos abre pista de patinação nesta sexta

BOA OPORTUNIDADE

Senac Guarapuava está com processo seletivo aberto

EXPECTATIVA

CAD empata com Bituruna, e busca classificação para a próxima fase

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com