Morre Maurício Gravon nesta sexta em Guarapuava

Família Gravon espera liberação do corpo para poder decidir sobre velório e sepultamento. Já o IML aguarda requisição de necrópsia com BO para buscar o corpo

Maurício Gravon morreu nesta sexta em Guarapuava (Foto: Arquivo da família)

Morreu em Guarapuava na manhã desta sexta (17) Maurício Gravon, de 52 anos. De acordo com uma sobrinha de Maurício, ele tinha feito uma cirurgia de fratura de fêmur, na segunda (13). E recebeu alta do hospital na quarta (15). Porém, por volta das 8h30 de hoje ele levantou para tomar água e morreu. “Foi em poucos segundos. Ele morreu nos braços da minha avó, com quem ele morava”.

Entretanto, o corpo até este momento (11h35) ainda está na casa. “Pedimos para o Samu liberar, mas nos disseram que a competência é do IML. Já o IML devolveu para o Samu”.

De acordo com a Coordenação Médica do Samu, um médico esteve na casa e atestou o óbito. Porém, não cabe a essa equipe a liberação do corpo. “Esse caso é realmente de competência do IML. O que houve foi um mal-entendido por causa de informações desencontradas de familiares”.

Conforme o Samu, toda morte em que haja suspeição da causa ou por forma traumática, como queda simples em domicílio, é por conta do IML. “Isso é lei. Um médico, que não seja do IML, fornecer uma declaração de óbito em que haja uma situação de trauma prévia, não está incorrendo apenas com negligência, também na ilegalidade”.

ESPERANDO ORDEM PARA BUSCAR O CORPO

Já o Instituto Médico Legal disse ao Portal RSN que o Instituto não é um órgão autônomo. Portanto, só recolhe um corpo por ordem de autoridade policial. “Precisamos de uma requisição de necrópsia com boletim de ocorrência. Só estamos aguardando esse documento da família”.

Segundo IML, há informação que familiares foram até a Delegacia de Polícia Civil e disseram que há necessidade de levar o corpo de Maurício até o IML. “Eles disseram que a vítima fazia tratamento com um médico do Hospital Santa Tereza e que iriam falar com ele em busca do atestado de óbito”.

Assim, segundo a família Gravon, tão logo o corpo seja liberado a intenção é fazer um velório íntimo e em seguida o sepultamento. “Vamos fazer um velório somente para a família por causa da pandemia do coronavírus e em seguida vamos sepultá-lo”.

Ainda não há informações sobre o horário e o local onde o corpo de Maurício será velado.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

MEIO AMBIENTE

Audiência pública apresenta sugestões sobre resíduos sólidos dia 30/09

UTILIDADE PÚBLICA

Energisa divulga desligamento programado para Guarapuava

NOVA FILIAL

Zero Resíduos expande operações para cidade de Guarapuava

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com