Polícia Militar registra nova perturbação de sossego em Guarapuava

Desta vez a perturbação foi registrada por uma clínica contra uma empresa de entregas. O barulho das motos estaria dificultando o atendimento de pacientes

Polícia Militar registra nova perturbação de sossego em Guarapuava (Foto: Arquivo/RSN)

A Polícia Militar registrou nova perturbação de sossego em Guarapuava. Mas dessa vez a reclamação não foi gerada por festas ou ‘lives’. No começo da noite dessa segunda (1), duas mulheres de 30 e 33 anos,  proprietárias de uma clínica que fica na rua Capitão Frederico Virmond, no Centro da cidade, fizeram contato com a PM.

Assim, por volta das 18h elas relataram aos policiais que em frente à clínica, existe uma empresa de entregadores que utilizam motos. E que há tempos, os funcionários usam moto com escapamento abertos para fazer barulhos e com isso perturbam o trabalho na clínica.

De acordo com a psicóloga de 33 anos, o barulho constante das motos afeta diretamente a evolução no tratamento dos pacientes. Já a fisioterapeuta de 30 anos afirmou que os barulhos são constantes e que por várias vezes foi até o local conversar com o proprietário, porém a situação não se resolveu.

Ainda conforme relato feito à PM, momentos antes da equipe chegar ao local, a psicóloga fazia atendimento e o barulho das motos e a gritaria eram muito altos. Assim, a fisioterapeuta foi conversar com o proprietário. Entretanto, o homem fechou fechou a porta machucando as mãos dela. Ela afirmou também que por isso, precisou interromper os atendimentos e dispensar os pacientes.

O OUTRO LADO

De acordo com relato feito aos policiais, o proprietário da empresa disse a ela que não iria cessar o barulho, e que ela poderia chamar a polícia se quisesse. No local, os policiais fizeram contato com o dono da empresa de entregas, de 41 anos. Conforme o homem, as motos dos colaboradores estão regulares. No entanto, ele afirmou que “pode ser que alguma ou outra vez o barulho tenha incomodado”.

O proprietário disse ainda que foi procurado pela mulher e que não quis falar com ela e fechou a porta, o que pode ter atingido a mão dela. Diante do interesse de representação das vítimas, as partes foram conduzidas ao 16º BPM para a confecção de termo circunstanciado. No cartório do termo circunstanciado uma advogada se apresentou como representante do homem e um homem como advogado das vítimas, e acompanharam o procedimento.

O proprietário da empresa se comprometeu a cessar com a perturbação, e disse que vai retirar a empresa do local para cessar a perturbação às vítimas. Por orientação do advogado das vítimas, foi emitida guia para realização de exame de lesão corporal.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

AVANÇO

Saúde confirma terceira morte por covid-19 em Guarapuava

ENFIM!

Governador entrega Hospital Regional nesta segunda (13)

BOLETIM COVID

Guarapuava confirma seis novos casos de covid-19 nesta sexta (10)

Comentários