Prefeito de Pinhão veta parcialmente proposta de aumento de subsídio

Projeto de lei foi proposto pela Câmara de Vereadores, mas prefeito homologa apenas reajuste para secretários, vice-prefeito, presidente e vereadores

Prefeito de Pinhão veta parcialmente proposta de aumento de subsídio (Foto: Prefeitura)

Uma mensagem assinada pelo prefeito Odir Gotardo, de Pinhão, foi recebido pelo presidente da Câmara de Vereadores, Luiz Hamilton Kitcky. O teor comunica o veto parcial no projeto de lei do Legislativo (12/2020). A matéria prevê o reajuste nos subsídios do prefeito, vice-prefeito, secretários municipais, presidente da Câmara e vereadores, a partir de 2021.

De acordo com a mensagem do Executivo, o veto atinge apenas o subsídio do prefeito até 2024. Conforme a justificativa, a rejeição foi pela necessidade atual de evitar aumento dos gastos públicos. “Sobretudo com subsídio do prefeito, que é o mais alto gasto da administração na folha de pagamento”. Assim, o valor atual será mantido para a próxima gestão, “uma vez que tal medida mostra-se razoável e adequada ao atendimento do interesse público”.

De acordo com o gabinete, com essa iniciativa o Executivo vai economizar cerca de R$ 2 mil por mês o equivalente a cerca de R$ 130 mil por ano, apenas com o subsídio do prefeito. Conforme a lei municipal, na gestão 2021-2024 os subsídios dos demais cargos fica assim: vice (R$ 4 mil), secretários municipais (R$ 6,5 mil), presidente da Câmara (R$ 6,5 mil), vereadores (R$ 5,4 mil).

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

NOVA MEDIDA

TSE suspende consequências para quem não votou nas eleições de 2020

HOMENAGEM PÓSTUMA

Prefeito decreta luto oficial de três dias pela morte de Bosco

Carreata pede 'impeachment' de Bolsonaro também em Guarapuava

Comentários