Projeto Maria da Penha chega à escola do Boqueirão em Guarapuava

Pais, mães e responsáveis pelos alunos também serão envolvidos em atividades

(Foto: Secom/Prefeitura de Guarapuava)

As ações descentralizadoras da Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres, por meio do programa Mulher Alerta, já estão em pleno funcionamento no bairro Boqueirão, em Guarapuava. Nesta terça feira (30), tem início a primeira etapa de atividades do projeto Maria da Penha nas Escolas, na Escola Hipólita Nunes de Oliveira.

“O intuito do programa é aproximar nossos serviços da população guarapuavana e, por isso, viemos até as bases”, disse a secretária de Políticas Públicas para as Mulheres, Priscila Schran de Lima. Nesta primeira etapa, as atividades envolvem professores, equipe pedagógica, de serviços gerais e a direção da Escola, por meio de uma parceria entre o CRAM (Centro de Referência de Atendimento à Mulher) e o Numape (Núcleo Maria da Penha) da Unicentro.

“Queremos conscientizar toda a equipe sobre a Lei Maria da Penha e violência doméstica. Fazemos isso por meio da leitura de casos de violência para saber como identificá-los e, também, um debate em grupo”, explicou a psicóloga e coordenadora do CRAM, Camila Grande.

A psicóloga do Numape, Luanna Krüger dos Santos, também atuará neste trabalho de sensibilização e conscientização. “Ao longo do dia, com as equipes da Escola, vamos propor reflexões sobre a violência doméstica e como ela podem influenciar os alunos em sala de aula”.

Enquanto as equipes pedagógicas e professores estiverem em atividades com o CRAM e o Numape, os alunos da Escola Hipólita Nunes de Oliveira participarão de atividades como pinturas de rosto, contação de histórias e brincadeiras com acadêmicos de pedagogia da Faculdade Guairacá. Pais, mães e responsáveis pelos alunos também serão envolvidos em atividades do CRAM em parceria com a Faculdade Campo Real.

Relacionadas

DROGA

PRF apreende 331kg de maconha em carro com placas de Guarapuava

PANDEMIA

Leitos destinados a pacientes com covid-19 estão parcialmente ocupados

REQUERIMENTO

Súmula de autorização florestal ao Instituto Água e Terra

Comentários