Rede coletora de esgoto no Boqueirão ficará pronta em outubro, diz Sanepar

Moradores pedem a ligação e a recuperação do asfalto cortado por empreiteira

(Foto: Associação de Moradores)

A obra que foi iniciada em 2017 já está com as tubulações concluídas, porém, falta a ligação para que moradores do Loteamento Mirante da Serra, em Guarapuava, tenham acesso à rede coletora de esgoto.

De acordo com o presidente da Associação de Moradores Eder “Gaúcho”, são quatro mil metros de rede que vão contemplar 230 ligações e outros 21 mil metros na Lagoa Dourada e Vila São João.

“Nos disseram que quando as galerias e tubulações estivessem prontas era só fazer a ligação, mas nada disso está acontecendo”.

Segundo Eder, os moradores estão gastando com o esgotamento de fossas a cada 15 dias. “Há fossas em regiões baixas que enchem muito rápido e o serviço para esgotar não é barato”.

Estação elevatória no Boqueirão (Foto: Ascom/Sanepar)

De acordo com a Sanepar, a obra da implantação da rede coletora no Mirante e no bairro Boqueirão é complexa porque na sua totalidade contempla a execução de aproximadamente 60 quilômetros de rede e interceptores para atender a mais de três mil imóveis, beneficiando pelo menos 12 mil pessoas.

“Então, trata-se de uma obra de grande complexidade”. Para atender tudo isso, a estação de tratamento de esgoto Vassoural, que já é uma das mais modernas do país, também está sendo ampliada.

E justamente por se tratar de uma obra complexa, foram encontradas algumas dificuldades ao passar pela rede ferroviária que corta a cidade, o que dificultou a execução de trechos essenciais para a interligação dessas redes ao sistema já existente.

Evandro Dalmolin, gerente regional da Sanepar numa área perto da linha ferroviária (Foto: Ascom/Sanepar)

De acordo com a Sanepar, embora se reconheça a importância do transporte ferroviário, a passagem da ferrovia pelo perímetro urbano cria limitações e obstáculos na área de logística e para expansão do saneamento em Guarapuava.

“Diante desses entraves, pedimos que a população desses bairros continue sendo compreensiva e paciente. Esta dilatação do prazo é mais um detalhe ao considerarmos a grandeza desta obra”.

Segundo a Sanepar, a princípio, se não houver mais nenhum imprevisto relacionado às cinco passagens subterrâneas na via férrea que precisam ser feitas, a previsão de conclusão da obra é para outubro deste ano.

PAVIMENTAÇÃO DETONADA
Outra reclamação dos moradores do Mirante da Serra é que a empreiteira contratada pela Sanepar para a execução dos serviços, cortou a pavimentação asfáltica de ruas, e não recompôs o asfalto.

Agora, com a incidência de chuvas dos últimos dias, essas rupturas acabaram provocando o surgimento de “crateras”, causando transtornos aos moradores.

Relacionadas

PROGRAME-SE

'Trenzinho da Luz' oferece passeio gratuito pela 'Cidade dos Lagos'

MORADIA

Famílias recebem casa própria em Santa Maria do Oeste

CANDÓI

Manifestação pede que lei contra maus tratos de animais seja cumprida

Comentários