Região de Guarapuava reduz em 52% a morte de mulheres por violência de gênero

Neste domingo (25), Dia Internacional de Combate à Violência contra a Mulher, Guarapuava prepara ação para fortalecer a luta

Neste domingo (25), o mundo reúne forças de luta pela vida das mulheres, em ações pelo Combate à Violência contra a Mulher. E Guarapuava chega a data com números expressivos. Segundo a secretária de Políticas Públicas para as Mulheres, Priscila Schran de Lima, houve uma redução em “52% no número de feminicídios registrados na Delegacia da Mulher, desde a criação da secretaria”. De acordo com Priscila, o dado refere-se a cobertura de ocorrência nos 22 municípios da região atendidos pela Delegacia. Embora números oficiais sobre a cidade não sejam divulgados, a secretária pondera que, isoladamente, em Guarapuava a redução pode chegar a 90%.

(Foto: Divulgação)

O cenário atual de redução deste crime, cuja morte decorre apenas pelo fato da vítima ser mulher, é bastante divergente do encontrado por Eva Schran, que assumiu a liderança da secretaria em 2013, ano de sua criação. Na época, Guarapuava sentia o desafio de transformar os números locais, que colocaram a cidade em 2012, entre os 100 municípios brasileiros que mais matavam mulheres, segundo o Mapa da Violência. Para a atual secretária Priscila, a consolidação de um espaço de referência para as mulheres em situação de violência é um fator decisivo para o sensibilização sobre o tema.

Quanto mais fortalecidas estão as políticas públicas para o acolhimento humanizado das mulheres, mais elas percebem que elas não estão sozinhas. Mais elas percebem que podem contar com a rede de enfrentamento, que se elas denunciarem, haverá proteção.

Segundo Priscila, com a redução dos feminicídios, outro tipo de violência assumiu o topo de ocorrências contra as mulheres, em Guarapuava. Atualmente, segundo a secretária, “os números mais altos são de violência física para mulheres. Para crianças e adolescentes é a violência sexual. Dos crimes sexuais que acontecem na cidade, 90% são com crianças e adolescentes”, declarou.

O alerta para tais números evidencia que a luta pelo fim da violência contra as mulheres é constante e que depende de uma mudança conjunta, de toda a comunidade. Pensando nisso, a ação organizada este ano em alusão ao Dia Internacional de Combate à Violência contra a Mulher quer abraçar toda a população guarapuavana.

“Pensamos em fazer uma integração pelo fim da violência contra a mulher. Não só mobilizar as pessoas que já são ativistas, mas integrar com toda a comunidade e haver uma sensibilização de todos e todas pelo fim da violência contra a mulher. Escolhemos o Parque das Araucárias para fazer uma integração mesmo. Todos os serviços da Rede de Enfrentamento da Violência Contra a Mulher estarão lá, serviços de saúde também. É uma tarde de recreação para as crianças, aulas de zumba, aulas de ginástica, aula de yoga, tudo gratuito”, destacou Priscila.

As atividades terão início às 15h, no Parque das Araucárias. De acordo com a secretária, todo o parque estará sinalizado com materiais de sensibilização e atenção às práticas violentas contra as mulheres.

Relacionadas

PANDEMIA DA COVID-19

Guarapuava registra 92 novos casos de covid-19 e governador faz apelo

VAMOS ESTUDAR?

UniGuairacá promove simulado gratuito para o Enem

ADOTE E FAÇA O BEM

Crianças enviam cartinhas emocionantes para Papai Noel dos Correios

Comentários