Salário mínimo estadual pode chegar a R$ 765

Curitiba – O governador Roberto Requião apresentou na Escola de Governo de ontem, terça-feira, a proposta de aumentar os valores do piso regional paranaense para até R$ 765,00. Se forem aceitos pelos sindicatos de trabalhadores e, em seguida, aprovados pela Assembléia Legislativa, os valores vão ficar até 50% maiores que o novo salário mínimo nacional, de R$ 510,00. A expectativa é que a lei com o reajuste seja encaminhada aos deputados para votação no dia 1º de fevereiro.

Segundo o governador, o salário mínimo regional tem como data-base o mês de maio, mas já são estudadas maneiras de antecipar o reajuste. “O presidente Lula antecipou o aumento nacional, que já está valendo e começa a ser pago em fevereiro. Então nós queremos fazer o mesmo, para que em maio os trabalhadores paranaenses já contem com um rendimento maior”, disse.

Mudanças

A proposta do Governo não só altera os valores, como diminui o número de faixas pelas quais se definem o piso referente a cada grupo de ocupações. O salário mínimo regional continua valendo para todos os trabalhadores assalariados cujas categorias não possuem acordo ou convenção coletiva de trabalho, mas passa a dividi-los em quatro faixas salariais e não em seis como acontece atualmente.

O grupo I, formado por trabalhadores na agricultura, que recebem R$ 605,52, passaria a ter como piso R$ 663,00. Ou seja, uma variação equivalente a 9,5%. Com o reajuste, os rendimentos nesta primeira faixa ficariam 30% maiores que o salário mínimo brasileiro.

No grupo II, seriam enquadrados os antigos grupos 2, 3 e 4, trabalhadores em serviços administrativos, domésticos e gerais, vendedores e trabalhadores de reparação. O salário estadual aumentaria de R$ 615,10 para R$ 688,50 (+11,9%). Na comparação com o piso nacional, o valor proposto é 35% maior.

Para o grupo III, trabalhadores na produção de bens e serviços industriais, o mínimo regional vai de R$ 625,06 para R$ 714,00: variação de 14,2 pontos percentuais. Se aceito, o novo salário comprará 40% mais que o brasileiro.

O grupo IV, composto por técnicos de nível médio, que hoje tem previsto em lei salários de R$ 629,45, passaria a tem por direito piso salarial de R$ 765,00 (+21,5%). Significa que o maior valor do piso estadual seria equivalente a 50% mais que o salário mínimo nacional.

Impacto

Estimativas do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconomicos (Dieese) apontam que o piso regional estadual é referência para mais de 1,5 milhão pessoas, direta e indiretamente. Com o aumento, o impacto na economia paranaense deve ser de aproximadamente R$ 150 milhões por mês.

“Com melhores salários, maior distribuição de renda e maior produtividade. Toda a cadeia produtiva sai ganhando porque se o meu empregado ganha mais ele também gasta mais, com isso eu vendo mais, tenho que aumentar minha produção e contratar mais funcionários. É um ciclo virtuoso”, argumenta o supervisor técnico do Dieese, Cid Cordeiro.

Votação

O projeto para aprovação dos valores deve ser levado aos deputados pelo vice-governador Orlando Pessuti no primeiro dia de fevereiro, data marcada também para o discurso do governador Roberto Requião na abertura dos trabalhos da Casa em 2010.

Fonte: Agência Estadual de Notícias

Foto: agência Bonde News

Relacionadas

HOMENAGEM

Praça da Ucrânia terá monumento esculpido com ícones da cultura

CUIDADOS DEVEM CONTINUAR

Apesar da vacinação, prefeito pede cautela à população

INCIDENTE NO AR

Por 25 segundos avião com vacinas não bate em voo comercial da Gol

Comentários