Saúde de Irati registra mais uma morte por covid-19

Com a morte confirmada hoje (27), Irati totaliza 17 mortes por causa da doença. Desta vez, a vítima é um homem de 77 anos sem comorbidades

Em Irati, 17 pessoas já morreram (Imagem: Corona Borealis Studio/Shutterstock.com )

A Saúde de Irati registrou na tarde desta sexta (27) mais uma morte por covid-19. Dessa maneira, o município já contabiliza 17 mortes pela doença. Esta é a segunda morte nesta semana em decorrência da contaminação. Além disso, até as 12h de hoje (27), já tinham sido confirmados na cidade 1.829 casos. A Saúde divulga dois boletins diários.

Conforme as informações, a morte registrada hoje é de um idoso de 77 anos, que não tinha comorbidades. Ele estava internado na enfermaria da Santa Casa de Irati e morreu na tarde de ontem (26).

Ainda de acordo com as informações, outros 251 casos ainda estão em investigação, 14 pessoas seguem internadas, 11 em enfermaria e outras três em UTI’s. Além disso, 406 pessoas cumprem a determinação de isolamento domiciliar. E por fim, 1.393 pacientes estão curados.

Operação segue na semana que vem (Foto: Secom/Prefeitura de Irati)

ALERTA NO COMÉRCIO

O aumento dos casos fez com que a fiscalização nos comércios da cidade fosse intensificada. Dessa maneira, o Centro de Operações Especiais e de Fiscalização da covid-19 da Prefeitura de Irati (COEF), com apoio da Polícia Militar e Guarda Municipal, deflagraram ontem a operação “Comércio Seguro”.

Conforme as informações, o trabalho conjunto fez visitas e vistorias nos pontos comerciais como supermercados, lojas, lotéricas e outros, durante o dia. E à noite, os bares e similares. A fiscalização busca o cumprimento de todas as normas necessárias. Entre elas, o horário permitido para funcionamento e principalmente, a ocorrência de aglomerações.

Além disso, a operação tem caráter educativo e de orientação sobre cuidados e prevenção à covid-19 e prosseguirá pelos próximos dias. Na semana que vem, caso ocorram denúncias, estas visitas serão para notificação. E em caso de recorrência, empresas que desrespeitarem os decretos e as determinações de segurança, poderão ter os alvarás cassados.

O enfermeiro Agostinho Basso coordena o COEF. Ele explica que “a cassação do alvará é um recurso extremo, que a Prefeitura não deseja, mas que será colocada em prática em caso de flagrante e seguido desrespeito”.

O profissional ainda argumentou que em todos os contatos com os comerciantes, eles se mostraram receptivos, e se propuseram a ajudar no combate ao contagio pela covid-19. Também os clientes destes estabelecimentos receberam orientações sobre as medidas do decreto 250/2020.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

BOLETIM COVID

Saúde de Guarapuava já contabiliza mais de 1.100 casos de covid-19 em janeiro

EDUCAÇÃO

PR é exemplo de prevenção na aplicação da prova do Enem, diz ministro da Educação

INÍCIO DE VACINAÇÃO

Enfermeira é a primeira a receber a vacina no Brasil

Comentários