Sesa mantém suspensão das cirurgias eletivas até dia 3 de fevereiro

A Sesa manteve a suspensão das cirurgias eletivas por mais 30 dias nas redes do Sistema Único de Saúde (SUS) e particular devido à covid-19

Sesa mantém suspensão das cirurgias eletivas até dia 3 de fevereiro (Foto: José Fernando Ogura/AEN)

A Secretaria de Estado da Saúde publicou nesta segunda (4) a Resolução nº 013/2021, que determina a suspensão das cirurgias eletivas nas redes do Sistema Único de Saúde (SUS) e particular até dia 3 de fevereiro, considerando o crescimento de casos de Covid-19 e a ocupação de leitos de UTI e de enfermaria no Paraná.

Conforme o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, a pandemia segue impondo medidas restritivas. “Entre elas a de mantermos leitos, equipamentos, insumos e equipes profissionais priorizados para o atendimento de pacientes infectados pelo coronavírus”.

A nova Resolução revoga a anterior, de nº 1412/2020, que já suspendia as cirurgias eletivas entre 1º e 31 de dezembro de 2020.

Contudo, a regra não se aplica aos procedimentos de cardiologia, oncologia e nefrologia e não se aplica a exames e procedimentos feitos em âmbito laboratorial que, a critério médico, os considerados de urgência ou emergência.

SUSPENSÃO

Desde agosto do ano passado, a secretaria estadual da Saúde vem recomendando e restringindo, por meio de resoluções, a suspensão das cirurgias eletivas como forma de contingenciamento de insumos e também de leitos de UTI.

Primeiramente, houve restrição nos procedimentos com demanda de terapia intensiva no pós-operatório. Em um segundo momento, foi liberado o procedimento em hospitais privados que não constavam do plano de atendimento à covid-19. Depois, com o agravamento da pandemia, o Estado suspendeu as cirurgias eletivas em toda a rede pública e privada. Desse modo, com a nova resolução, a suspensão fica mantida por mais 30 dias.

De acordo com o chefe de gabinete da pasta, César Neves, as medidas de gestão se darão de acordo com o cenário estadual. E que visam, principalmente, prestar atendimento eficiente e de qualidade a todos os paranaenses, evitando assim um colapso na estrutura hospitalar.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

PARALISAÇÃO

Volta às aulas mobiliza sindicato para greve também na Região

VACINA DA COVID-19

Aliel cobra explicações sobre quantidade de vacinas destinadas ao PR

ATENÇÃO

5ª Regional de Saúde confirma primeiro caso de Dengue

Comentários