Sete famílias preservam a cultura quilombola em Turvo

Comunidade se abre para o turismo cultural numa viagem pela história

(Foto: Gralha Azul)

Para quem gosta de um passeio diferente, cheio de aventura e história, a dica é ir até o município de Turvo, que fica a menos de 40 minutos de Guarapuava, e seguir até a comunidade Campina dos Morenos, remanescente quilombola.

De acordo com a Gralha Azul Turismo e Aventura, estima-se que a sua formação tenha sido no final do século XIX, por pessoas que fugiam da escravidão, se abrigavam nas matas da região e que viveram isoladas por muitos anos. Hoje, apenas de sete famílias ainda vivem na comunidade e buscam resgatar a luta de seus antepassados.
O passeio Caminho do Quilombo, promovido pela Gralha Azul, tenta fazer esta ponte cultural. A vivência começa com um momento na Casa Histórica Campina Velha que abriga uma biblioteca e exposição de objetos e imagens que ajudam a contar essa história. Entre os itens estão os de decoração, através dos quais percebe-se traços característicos da cultura africana nos artesanatos que envolvem pinturas, bordados e costuras sempre muito coloridos.

(Foto: Gralha Azul)

Nesse primeiro momento é exibido também o documentário Remanescências – Histórias da Campina, desenvolvido pela Gralha Azul com os jovens da comunidade em oficina audiovisual. Ele traz relatos de pessoas que cresceram na Campina, como a Tia Lica de mais de 100 anos de vida e pessoas que recebem para essa visita como a Lindamar.
Em seguida prepare-se para uma caminhada de 1,8 km para conhecer o local, apreciando aspectos da organização como a arquitetura, a cultura, costumes, bem como a natureza ao redor.

Nesse programa não pode falta a visita ao Olho D’água de São João Maria e a Capela de São Martinho, marcos do misticismo tradicional da Campina. A trilha segue por entre as casas tradicionais até o Poço das Lavadeiras, onde as pessoas lavavam suas roupas utilizando as águas do rio e sabão caseiro produzido ali mesmo na comunidade.

(Foto: Gralha Azul)

No percurso ainda há o Carreiro da Visagem que leva até a Cachoeira Mãe de Ouro, trechos envoltos em causos e lendas, como a da bola de fogo e da panela de ouro. Quem quiser pode escutar essas histórias enquanto aproveita um banho de cachoeira.

Aos que gostam de uma boa comida caseira, o Almoço Quilombola leva ao prato de cada visitante os alimentos cultivados desde a época em que os primeiros moradores chegaram ali. Na comunidade vivem pessoas muito acolhedoras e participar desta vivência é encontrar-se em contato com diversas gerações.

PASSEIO NO DOMINGO (9)

Pensando nesta troca de saberes da terra e conhecimento histórico, a Gralha Azul promove o passeio Caminho do Quilombo em evento especial no próximo domingo (9), com saída de Turvo às 8h30.

A programação se encerra com o almoço tradicional ao meio dia, mas para quem não puder participar desta vez, a atividade fica disponível o ano todo para grupos com mínimo de seis pessoas.

O valor individual é de R$ 55 e os interessados devem entrar em contato pela página do Facebook da Gralha ou diretamente por telefone e WhatsApp pelo número: (42) 99980-4079.

 

 

 

Relacionadas

INDIGNAÇÃO

Em Candói, manifestantes pedem prisão para agressores de animais

LEI ALDIR BLANC

Setor cultural pede socorro para não perder recurso emergencial

PROGRAME-SE

'Trenzinho da Luz' oferece passeio gratuito pela 'Cidade dos Lagos'

Comentários