Menina de quatro anos precisa de ajuda para recuperar a mobilidade das mãos

O ex-padrasto da menina colocou fogo no carro em que ela estava com a mãe

Apesar da pouca idade a pequena S.C.P, de apenas quatro anos, já tem uma história de vitória. A menina carrega no corpo as marcas da violência do ex-padrasto e no rosto um tímido sorriso de superação.

No dia 9 de abril, Danilo Geraldo Ferreira, 28 anos, colocou a mulher grávida, mãe de Sofia, junto com a criança dentro de um carro e ateou fogo, na localidade do Passa Quatro, interior de Turvo. Desde então a pequena passou por inúmeras cirurgias para se recuperar das lesões causadas pelas queimaduras.

O pai da menina, Vagner Cardoso, 28 anos, é pedreiro e acompanha a menina desde os primeiros procedimentos médicos. “Foram muitos dias internada, raspagens duas vezes na semana na tentativa de melhorar a qualidade de vida dela e sarar as feridas, olha o rostinho, já sarou bem”.

Vagner, que tem contado com o apoio de familiares para cuidar da menina viaja a Curitiba para que ela possa ter acompanhamento adequado. O SUS auxilia a família com alguns medicamentos e aparelhos para recuperação.

(Foto: Larissa Ortiz/RSN)

Mas, nessa semana o cirurgião plástico, que cuida de menina desde os primeiros dias, indicou um aparelho para as mãos . O objetivo é fazer com que ela recupere a mobilidade dos dedos sem precisar passar por novo procedimento cirúrgico.

O pai pede a ajuda e a colaboração da comunidade de Guarapuava para custear o aparelho. “Não temos ideia ainda de quanto custa, o médico apenas nos disse que custa caro e nós não temos como pagar. Só quero ver ela bem”.

Uma empresa de Guarapuava se dispôs a ceder o espaço para que um técnico de Curitiba, que produz o aparelho, possa atender a menina, tirar as medições e fazer um orçamento.

A pequena agradece o carinho com o mesmo sorriso tímido do início da reportagem, alegando que “não sente dor, mas quer dobrar as mãozinhas”.

PARA AJUDAR

Caixa Econômica Federal
Vagner Cardoso Pereira
Agência: 0389
Operação: 013
Conta: 264135-4
CPF: 074.140.479-62

MORTE

O ex-padrasto, Danilo Geraldo Ferreira, 28 anos, que estava preso preventivamente desde o dia 11 de abril no Complexo Médico-Penal, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, morreu no último sábado (15).

De acordo com o Instituto Médico Legal, a causa da morte foi enforcamento. Um inquérito será instaurado pela Polícia Civil, e o Departamento Penitenciário do Paraná (Depen-PR) também vai investigar o caso.

Relacionadas

INDIGNAÇÃO

Em Candói, manifestantes pedem prisão para agressores de animais

LEI ALDIR BLANC

Setor cultural pede socorro para não perder recurso emergencial

PROGRAME-SE

'Trenzinho da Luz' oferece passeio gratuito pela 'Cidade dos Lagos'

Comentários