Unicentro mantém qualidade de leite materno do Hospital São Vicente

O leite do HSV é analisado há sete anos. Neste período, já foram feitos 18.900 exames microbiológicos para o Banco de Leite Humano de Guarapuava

Leite materno é testado há sete anos pela instituição (Foto: Ascom/Unicentro)

Mesmo durante a pandemia do novo coronavírus, a qualidade do leite materno do Banco que funciona no Hospital São Vicente em Guarapuava, está assegurada. Assim, um motorista sai da Unicentro e vai até hospital e se dirige ao Banco de Leite Humano.

Lá ele recolhe as amostras coletadas e volta ao campus Cedeteg. Então, entrega o material para professores e estudantes que atuam no Laboratório Escola de Análises Clínicas, vinculado ao Departamento de Farmácia. A partir daqui, começa o trabalho que vai analisar se o leite está próprio para consumo dos bebês.

Essa é uma rotina que se repete desde 2013 e que está mantida mesmo nos dias atuais. Conforme a assessoria de imprensa da Unicentro, foram tomadas todas as medidas preventivas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), nesse momento de isolamento social em decorrência da pandemia da Covid-19.

Conforme o professor responsável pelo Laboratório de Análises Clínicas da instituição, Marcos Ereno Auler, os serviços continuam sendo feitos normalmente para o hospital, atendendo as necessidades do Banco de Leite.

PARCERIA

Ainda conforme a assessoria da Unicentro, o leite do banco do HSV é analisado há sete anos. Neste período, já foram feitos 18.900 exames microbiológicos para o Banco de Leite Humano de Guarapuava. Por semana, o Laboratório Escola de Análises Clínicas faz, em média, 100 dessas análises. A aferição determina a qualidade do leite e se ele está apto para ser consumido pelos recém-nascidos.

De acordo com um dos alunos que atuam no laboratório, Igor César Schreiner, a avaliação da qualidade microbiológica do leite materno é uma etapa fundamental para a segurança alimentar dos recém-nascidos.  Ele explicou que o exame busca a detecção de micro-organismos. Assim, é avaliado o processo de pasteurização que é feito no Banco de Leite.

Esse processo de pasteurização visa eliminar todo tipo de micro-organismo. Então, o leite vem para cá e a gente avalia se foi eficiente ou não, se há micro-organismos ou não. Por fim, ficamos sabendo se o leite está apto para ser liberado ou não.

Os responsáveis pelas análises, reiteram ainda que a continuidade do serviço é imprescindível para a manutenção do fornecimento para recém-nascidos que precisam do alimento.

Por fim, os profissionais reiteram que até o momento, não há nenhum estudo que comprove a transmissão do coronavírus pelo leite materno e o aleitamento segue sendo recomendado pela Sociedade Brasileira de Pediatria.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

MAIS CONFIRMAÇÕES

Guarapuava registra cinco novos casos de covid-19 em 24h

BALANÇO SEMESTRAL

Polícia Ambiental registra aumento de prisões e resgates de animais

MAIS ÁRVORES

No Dia da Árvore, ação prevê plantio de 550 mil mudas no Paraná

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com