Unicentro tem atendimento remoto a mulheres vítimas de violência

O Numape da Unicentro faz o primeiro acolhimento da mulher em situação de violência, presta o assessoramento jurídico e psicológico à vítima

Vítimas de violência encontram amparo com projeto de extensão universitária da instituição (Foto: Arquivo/RSN)

A preocupação com a incidência de ocorrências envolvendo violência contra a mulher é um assunto que vem sendo debatido abertamente. A tecnologia é um dos aliados no combate ao avanço dos números de crimes contra as mulheres. Agora, elas podem denunciar on-line os agressores.

Como forma de auxiliar essas mulheres a Unicentro, conta com o projeto Numape, que é o Núcleo Maria da Penha. O projeto, que é um trabalho de extensão universitária tem sido um importante elemento da rede de enfrentamento à violência contra a mulher nos municípios de Guarapuava e Irati.

E mesmo com a com a pandemia de coronavírus, o Núcleo continua amparando as vítimas de violência doméstica. Porém, as coordenadoras explicaram que os atendimentos passaram por adaptações por conta das recomendações de isolamento social.

A professora Angela Maria Moura Prates, coordenadora do Numape da Unicentro, em Guarapuava explicou que assim que foi decretada a suspensão das atividades presenciais, imediatamente as usuárias do serviço foram comunicadas e informadas de que os atendimentos seriam remotos.

Assim, repassamos nossos contatos telefônicos e nossas redes sociais para que elas pudessem entrar em contato conosco, sempre que necessário. Fizemos diversas reuniões da equipe para reconstruir o trabalho de forma virtual e melhor atender essas demandas.

De acordo com a professora, o assessoramento jurídico e psicológico das mulheres em situação de violência doméstica tem sido essencial durante a pandemia de coronavírus. “As demandas continuam sendo encaminhadas para o Núcleo, com um significativo aumento nos últimos meses. A assistente social orienta como está sendo feito o atendimento no momento e solicita algumas informações “.

ATENDIMENTOS

Ainda de acordo com as informações da coordenadora, uma das funções do Numape é orientar mulheres sobre os procedimentos jurídicos da situação. Desse modo, durante a pandemia, os profissionais e graduandos da área do Direito vinculados ao Núcleo entram em contato por telefone.

“A equipe de Direito também entra em contato via telefone para o atendimento jurídico e, assim, dar entrada no processo. A partir disso, continua o monitoramento do processo, informando a usuária do andamento, sempre que necessário. Em alguns casos são feitos acordos entre as partes, em outros ocorre audiência virtual”.

Excepcionalmente por conta do isolamento social, a equipe também tem instruído as usuárias sobre as mudanças no sistema de justiça que, no momento, está em trabalho remoto, promovendo audiências virtuais.

Outra importante função do Numape é o acolhimento psicológico das mulheres que sofrem violência doméstica. Esses atendimentos também migraram para o formato virtual durante a suspensão de atividades presenciais da Unicentro, sendo feitos atualmente por áudio ou videochamada.

A psicóloga Izabel Soares, chama a atenção para o fato de que o aumento de casos pode estar relacionado ao fato de que, durante o isolamento social, as vítimas acabam tendo que conviver mais tempo ao lado dos agressores que, na maioria das vezes, são os próprios companheiros dessas mulheres. Izabel orienta que as mulheres façam as denúncias on-line.

O PROJETO

O Numape da Unicentro faz o primeiro acolhimento da mulher em situação de violência, presta o assessoramento jurídico e psicológico à vítima e, se ela necessitar de outros serviços de assistência, a encaminha para os órgãos municipais competentes. O Núcleo Maria da Penha também tem utilizado o ambiente virtual para dar continuidade a outras atividades desenvolvidas pelo projeto, como as reuniões técnicas, grupos de estudos e formação permanente.

Além disso, o Numape adaptou a forma como costumava promover medidas preventivas e educativas que buscam, entre outros objetivos, a divulgação da Lei Maria da Penha. Em Guarapuava, o contato com o Numape pode ser feito por ligação ou mensagem para o número (42) 9 8412-4945. Em Irati, o atendimento é feito pelo telefone (42) 9 9904-1423.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

ESTÁ INDO EMBORA

Paraná está há 10 dias de encerrar situação de surto de sarampo

ESPECIAL

Associativista, planejador e empreendedor: o perfil da agricultura em Guarapuava

EM ALERTA!

Aumento de casos eleva isolamento a 44% em Guarapuava

Comentários