Capitão América: Guerra Civil, um filme que agrada gregos e troianos

Jonas Laskouski com AdoroCinema

Guarapuava – Já está em cartaz, em Guarapuava, Capitão América: Guerra Civil. E tá todo mundo falando muuuito bem. O longa encontra Steve Rogers (Chris Evans) liderando o recém-formado grupo dos Vingadores em seus esforços contínuos para proteger a humanidade. Mas após outro incidente os envolvendo resultar em danos colaterais, aumenta a pressão política para instalar um sistema de responsabilização, comandado por uma agência do governo para supervisionar e dirigir a equipe. O novo status quo divide os Vingadores, resultando em duas frentes – uma liderada por Rogers e seu desejo de que os Vingadores se mantenham livres para defender a humanidade sem a interferência do governo, e a outra que segue a surpreendente decisão de Tony Stark de apoiar responsabilização e supervisão do governo.

O resultado não é só divertido mas emocionante, agradando a gregos e troianos, ou seja, vale para iniciantes e fãs de carteirinha. Robert Downey Jr. (Stark) continua sendo o principal protagonista desse universo, e rouba a cena em todos os momentos que toma a telona de assalto. Seu carisma é fundamental para o suceso de mais esse filme, e ele vale cada centavo dos US$ 40 milhões que recebeu de cachê.

Neste filme, seu Tony Stark está mais frio e amargurado devido aos acontecimentos em sua vida – ficando muito mais contido nas piadinhas e ironias que fazem parte do espírito do personagem. Ele deixa de ser o alívio cômico e se torna a voz da razão, deixando as piadinhas para dois personagens: o Homem-Aranha e o Homem-Formiga, novas e poderosas adições.

Chegando no fim da festa e roubando toda a atenção para ele, Peter Parker é majestosamente interpretado por Tom Holland, na primeira personificação infantil do herói nos cinemas. Ainda criança e morando com uma jovem Tia May (Marisa Tomei), Peter é apresentado em uma cena hilária que prepara os fãs para a nova aventura dele nos cinemas: Spider-Man: Homecoming (que estreia em julho de 2017).

Mas o filme tem muito mais. Guerra Civil encontra espaço digno para contar a história de cada um de seus dez protagonistas de maneira convincente, e os faz interagir deliciosamente. É uma lição de como fazer um filme arrasa-quarteirões sério sem perder a diversão e a grandiosidade de contar uma história simples e eficiente. Um suspense psicológico de primeira, repleto de cenas de ação e um roteiro impecável.

Capitão América: Guerra Civil (Captain America: Civil War) tem sessões dubladas diariamente às 16h e sessões legendadas às 19h e 21h45, no Cine XV Guarapuava.

 

MAIS VÍDEOS

Comentários