´A Assistência Social me fez amadurecer como mulher e como pessoa´, diz Cristina Silvestri

Embora tenha uma ligação política desde cedo a historiadora Cristina Rauen Silvestri (PPS) disse que nunca havia pensado em ser candidata até que o convite lhe fosse feito pelo grupo político que administra Guarapuava. Ela aceitou o desafio  pela experiência acumulada todos esses anos e, principalmente, pelo amadurecimento adquirido pelo tempo em que ficou à frente da Secretaria Municipal de Assistência Social.

“Eu convivi com a política desde a infância porque meu pai era político. Depois comecei a namorar o Cezar [Silvestri] e o pai dele [Moacir Silvestri] já tinha sido prefeito de Guarapuava. Mais tarde o Cezar entrou para a política”.

Sempre observando e depois trabalhando na coordenação das campanhas do esposo e, por último do filho, que é o prefeito do município, Cristina Silvestri tem um papel fundamental nas conquistas na área social.

“Assumi a administração de uma secretaria complexa, extremamente técnica, mas com reflexos na qualidade de vida da população que mais precisa do Poder Público. Para conseguir isso, implantamos uma série de projetos e programas, mas primeiros foi preciso  ir atrás de convênios, de recursos, porque nunca havia sido feito nada”.

 

Desde que assumiu a secretaria há 15 meses,  à medida em que o trabalho ia sendo desenvolvido os resultados começaram a surgir. Uma das primeiras medidas foi enfrentar criar um departamento específico para prevenção e combate às drogas. “O Poder Público não pode fechar os olhos a um problema que já é uma questão de saúde pública. Não se pode tapar com o sol com peneira e nós estamos  fazendo esse enfrentamento, implantando políticas públicas que previnem e combatem”.

A qualificação de pessoas, em especial beneficiários do programa Bolsa Família, também apresenta números animadores. “Aumentamos o número de pessoas qualificadas e muitas já colocadas no mercado de trabalho”.

O atendimento se estende também com grupos de idosos pelos bairros e distritos de Guarapuava; com a recuperação de homens que agridem mulheres, em parceria com o Judiciário; projetos em parcerias com as demais secretarias”.

Cristina Silvestri disse que presenciou cenas que as pessoas não imaginam que possam existir. “Salvamos uma senhora idosa que era mantida dentro de um galinheiro, tratada como bicho pelo próprio filho e pela nora. Nos deparamos com vítimas de tráfico de mulheres, com vítimas de violência doméstica, mas em contrapartida, detectamos que hoje não existem mais pessoas que passam fome em Guarapuava”.

Segundo a ex-secretária, a vivência experimentada na Assistência Social a fizeram amadurecer. “Amadureci como mulher, como ser humano e foi isso que me fez aceitar o desafio que me foi  proposto. O momento é da mulher, dos direitos humanos, da sustentabilidade na agricultura, da valorização do agronegócio”. 

Relacionadas

NOVA MEDIDA

TSE suspende consequências para quem não votou nas eleições de 2020

HOMENAGEM PÓSTUMA

Prefeito decreta luto oficial de três dias pela morte de Bosco

Carreata pede 'impeachment' de Bolsonaro também em Guarapuava

Comentários