Agronegócio pauta encontro de Ratinho Junior com embaixador do Irã

O Irã é o principal comprador do milho paranaense. Além disso, o país é um dos principais destinos dos produtos do Paraná no Oriente Médio

Agronegócio pauta encontro de Ratinho Junior com embaixador do Irã (Foto: Rodrigo Felix Leal)

O governador Carlos Massa Ratinho Junior recebeu nesta sexta (24) o embaixador do Irã no Brasil, Hossein Gharibi. Eles conversaram sobre agronegócio e a relação comercial dos dois países. O Irã é o principal comprador do milho paranaense. Além disso, é um dos principais destinos dos produtos do Paraná no Oriente Médio.

Na balança comercial, o Paraná importa grandes quantidades de ureia do país asiático. Participou do encontro o empresário Marshal Sahari, que planeja aumentar os investimentos no mercado de fertilizantes para a agricultura. De acordo com o governador, o Paraná tem vocação agrícola e é sede das principais cooperativas da América Latina.

VOCAÇÃO

Assim, como exemplo citou o crescimento de 2,3% no Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre de 2020. Mas disse que os reflexos da pandemia serão sentidos nos próximos meses e que o Paraná busca ampliar a atração de investimentos para gerar novos empregos. “O agronegócio representa quase 40% do nosso PIB. Queremos industrializar cada vez mais a produção e nos colocamos à disposição para auxiliar a construir novas soluções nessa relação comercial”.

(Foto: Rodrigo Felix Leal)

Segundo a Agência Estadual de Notícias, essa foi a primeira visita do embaixador ao Estado. Ele ocupa o cargo diplomático desde abril. Conforme o embaixador do Irã no Brasil, Hossein Gharibi, a relação comercial é histórica com o Brasil. “Queremos expandir e diversificar as trocas econômicas. E estou feliz por começar esse diálogo com o Paraná por causa do potencial do Estado em diversos segmentos, mas principalmente no agronegócio”.

A exportação de milho paranaense para o país persa alcançou, em 2019, US$ 395,9 milhões. O Brasil consome cerca de 5,5 milhões de toneladas de ureia por ano e 25% do produto é importado pelo Porto de Paranaguá. O Irã ocupa a 23ª posição no ranking das exportações brasileiras, de acordo com o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Na outra ponta, é o 70º país em importação.

ARLA

Além da importação de fertilizantes por parte do Estado e da possibilidade de expandir a relação comercial, outra pauta do encontro foi a ARLA (Agente Redutor Líquido de Óxido de Nitrogênio Automotivo). A ARLA é um reagente composto por grandes quantidades de ureia de alta pureza em água desmineralizada. E é utilizado para reduzir quimicamente a emissão de óxido de nitrogênio nos gases de escape dos veículos movidos a diesel. O Irã tem desenvolvido essa tecnologia com sucesso.

Outra possibilidade de investimento no médio prazo é a instalação de um centro de pesquisa em nanotecnologia aplicada ao agronegócio no Oeste do Estado. A ideia é unir o potencial tecnológico desenvolvido por pesquisadores do Irã em parceria com a Embrapa. A nanotecnologia pode ajudar o monitoramento das condições do solo, crescimento da safra e no aumento da produtividade.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

OBRIGATÓRIO

Adapar alerta produtores sobre prazos para atualizar rebanhos no PR

TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

Guarapuava será a 1ª cidade do país a ter 'app' com prêmio internacional

ALERTA

Serviço de alerta de ferrugem asiática na soja começa nesta quinta no PR

Comentários