Alceu é condenado a 78 anos de prisão pela morte de Marcia Spitzner

Outras cinco tentativas de homicídios também pesaram contra o réu

Alceu Xavier (Foto cedida por familiares de Marcia)

Após cerca de 15 horas de júri, com depoimentos de nove testemunhas de acusação, Alceu Xavier, 36 anos, foi condenado a 78 anos e cinco meses de prisão. Ele executou a tiros a esposa Marcia Spitzner, na frente das irmãs, pais e cunhado, e ainda atentou contra vida de todos.

O advogado de defesa, Júnior Ribeiro, disse que vai recorrer da decisão, contra as cinco tentativas de homicídios, mas confirmou que o seu cliente matou Marcia. O criminalista também discorda das qualificadoras atribuídas ao condenado, de motivo fútil e por dificultar a defesa da vítima.

Os crimes foram na noite de 2 de fevereiro de 2017, no município de Cantagalo, após Marcia ter descoberto mais uma traição do marido e ter pedido a separação. Alceu, aparentemente, concordou com a separação, ajudou a vítima a transferir seus pertences para a casa dos opais, onde entrou, conversou, tomou café, se despediu e matou.

Marcia era prima da advogada Tatiane Spitzner, também vítima de feminicídio e que tem como suspeito o ex-marido Luis Felipe Manvailer.

Relacionadas

VAMOS PARTICIPAR?

Oficina on-line de ginecologia natural ocorre neste sábado (28)

QUE VENHA DEZEMBRO

Último fim de semana de novembro será chuvoso em Guarapuava

QUE TAL SE TORNAR DOUTOR?

Unicentro anuncia autorização para oferta de Doutorado em Letras

Comentários