Assentamento é alvo de criminosos associados a madeireiros da região

Guarapuava – A Polícia Federal no Paraná deflagrou nesta manhã (24) a “Operação Tolerância Zero”, para repressão de crimes ambientais na área do Assentamento Celso Furtado, no Município de Quedas do Iguaçu.
Estão sendo cumpridos 29 mandados de prisão expedidos pela Justiça Federal em Cascavel, além de 95 ordens para busca e apreensão e para interdição de serrarias, igualmente expedidas pela 1ª Vara Federal de Cascavel. Participam destas ações 240 policiais federais, do Paraná e de outros Estados; 258 policiais militares, sendo 110 policiais da Força Verde; 28 servidores do INCRA e 23 do IBAMA, num total de 550 servidores públicos que empregam dezenas de viaturas e 2 helicópteros. Todos ficaram aquartelados em instalações do exército em Cascavel.
A apuração dos fatos foi conduzida pela Delegacia de Repressão aos Crimes contra o Meio Ambiente, sediada na Capital, que identificou os responsáveis por uma série de crimes em detrimento dos interesses da União. O relatório destas investigações foi submetido à Justiça Federal em Cascavel, que detém jurisdição sobre a área do assentamento, onde, após manifestação favorável do Ministério Público Federal, foram expedidos os mandados solicitados pela Polícia Federal para a restauração da ordem pública em uma área sob controle do Governo Federal.
Os alvos das prisões, segundo a Polícia Federal, são criminosos que invadiram o assentamento, expulsando famílias assentadas para ocupar seus lotes.
Em associação com alguns empresários madeireiros da região, passaram a vender e processar madeira extraída ilegalmente do Assentamento, que constitui patrimônio da União assim protegido, a par da proteção específica da espécie araucária, também atingida pela ação predatória dos criminosos.
As interdições determinadas pela Justiça Federal buscam interromper a ação de serrarias onde é processada a madeira subtraída da área da União, situadas em diversas localidades da região e, em alguns casos, a poucos metros da entrada do Assentamento. Serrarias clandestinas já identificadas no interior do Assentamento serão igualmente lacradas pelos policiais, que poderão fazer prisões em flagrante. A Polícia Federal montou duas bases para executar esta Operação: uma operacional, nas instalações da Polícia Militar em Quedas do Iguaçu, onde estarão sediados o comando das ações e os helicópteros que a apoiam, e outra administrativa, para ações de polícia judiciária, na Delegacia da PF em Cascavel, à Rua Paraná nº 1264, onde os presos serão interrogados e formalmente apreendido o material arrecadado nas buscas. A rua onde se localiza a Delegacia da PF em Cascavel, será fechada ao trânsito regular de veículos para facilitar a intensa movimentação das viaturas policiais.
Os presos serão encaminhados, após o interrogatório, para a Penitenciária Federal de Catanduvas, onde ficarão recolhidos à disposição da Justiça Federal. Autorização excepcional neste sentido foi obtida junto à Corregedoria do presídio federal.
Haverá coletiva para a imprensa às 16h, no Pelotão da PM em Quedas do Iguaçu, na rua Limoeiros nº276, Bairro Luzitani, onde estarão os representantes das instituições oficiais participantes da “Operação Tolerância Zero”.

Foto ilustrativa mostra um assentado cultivando a terra.

Relacionadas

BR-376

Acidente com ônibus deixa 14 mortos e 32 feridos no Paraná

MORTE

Ciclista é atropelado e morre na BR-277 em Guarapuava

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Idoso agride sobrinhas e deixa adolescente de 15 anos desmaiada

Comentários