Caciques estão reunidos em Guarapuava para organizar protesto contra decreto federal

Guarapuava – Caciques e outras lideranças indígenas subordinadas à administração da Fundação Nacional do Índio (Funai) em Guarapuava estão reunidos na sede do órgão desde a manhã desta quarta-feira (6).
Eles estão organizando uma comissão que irá a Brasília nos próximos dias para “engrossar” o movimento nacional contra o decreto federal 7.056/2009, publicado no Diário Oficial da União em 28 de dezembro do ano passado.
Segundo o cacique Noeli Oliveira, de Boa Vista, o decreto aprova o estatuto e o quadro demonstrativo dos cargos em comissão da Funai e promove um “desmanche” na sede de Guarapuava, entre outras.
As 14 terras indígenas ligadas a Guarapuava, segundo Jeancarlo Burigo, que responde pela administração, ficarão subordinadas a Florianópolis (SC).
Os índios reclamam, uma vez que o decreto vai contra a reestrutração da Funai que vinha sendo reivindicada há anos. “Falta orçamento e não tem pessoal suficiente para atender as demandas indígenas e agora vai ficar muito pior”, reclama Neoli.
De acordo com Burigo, por enquanto, a sede de Guarapuava não recebeu nenhum comunicado oficial por parte da Funai em Brasília. “O que o decreto diz é que os funcionários podem ser remanejados para outras coordenações da Funai que serão mantidas ou então para outros órgãos públicos federais”, disse Burigo.
“Eu não já não sei se ainda sou o administrador ou não”, ironiza. Assim como Burigo, outros 21 funcionários que atuam em Guarapuava não sabem o que acontecerá.
“O que sabemos é que a estrutura em Guarapuava deverá ser mantida como pólo, mas sem orçamento e sem funcionários”, comenta Neoli.

Relacionadas

INÍCIO DE MANDADO

Primeira sessão ordinária da Câmara ainda não tem dia definido

MILITARIZAÇÃO

Deputados aprovam alterações no programa Colégios Cívico-Militares

LUTO

Morre o ex-deputado Algaci Tulio, mais uma vítima da covid-19

Comentários