Caso Carli Filho: Severino Araújo reage à divulgação de Resolução do PSB como sendo de expulsão e diz que há preconceito contra o Partido

Guarapuava – Uma nota distribuída pela assessoria de imprensa da Família Yared diz que o escritório jurídico Elias Mattar Assad e Advogados Associados recebeu a Resolução 06/2009, do Partido Socialista Brasileiro – PSB – Paraná, onde comunica ao Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Paraná “a expulsão do ex-deputado Luiz Fernando Ribas Carli Filho”.
Acontece que o teor do documento não faz nenhuma menção a expulsão do ex-deputado, mas diz, de forma generalizada que o Partido veda uma possível filiação de quem tenha tido parecer favorável da Comissão de Ética para expulsão da agremiação política.
Este foi o caso de Carli Filho, de Antonio Belinati Filho, de Ricardo Maia, entre outros parlamentares.
“Não podemos expulsar quem não mais pertence ao PSB. O ex-deputado Carli Filho, assim como outros, pediria a desfiliação para evitar o constrangimento de serem expulsos e só poderão retornar ao PSB pelas mãos do Diretório Nacional”, reage o presidente regional Severino Araújo (foto) em entrevista concedida na manhã de hoje, quinta-feira, à jornalista Cristina Esteche da Rede Sul de Notícias – Tribuna Regional.
“Estão querendo fazer sensacionalismo em cima de cadáveres. Estão querendo ditar normas só porque o PSB é um partido pequeno e porque me chamo Severino – soube por alguém da mídia que querem me comparar com Severino Cavalcanti, do PP, (ex-presidente da Câmara Federal que renunciou ao mandato após envolvimentos de corrupção, entre os quais, a cobrança de propina de um restaurante da Câmara) e não vou permitir. Estão agindo de forma preconceituosa com essa insistência em cobrar o PSB de uma coisa que o partido não pode fazer. O Carli Filho não é mais filiado ao partido”, ratifica Severino Araújo.
“Por que não deram essa mesma proporção midiática à Tragédia do Guaíra quando o secretário de um grande partido atropelou e matou duas jovens na madrugada de um sábado? Foi preso em flagrante, mas um senador da República, presidente desse grande partido, chegou e deu um carteiraço e livrou o autor dessas mortes do flagrante e o policial ainda bateu continência a essa autoridade? O autor desses crimes vai ser o deputado mais votado nas eleições do ano que vem e a mídia vai chamá-lo de excelência. Eu me refiro ao governador Roberto Requião que era senador na época e ao seu sobrinho João Arruda”, desabafa Severino Araújo.
“Neste caso – que chamou de a Tragédia do Mossunguê – estão extrapolando; está havendo sensacionalismo e acho que tudo tem limite. Não estou defendendo ninguém e nem me arrependo do que fiz. Eu abonei a ficha do ex-deputado e também pedi a sua expulsão do partido. Entre as normas do PSB e a amizade sou obrigado a ficar com o meu dever para com o partido”, ratifica.
Confira no link o documento divulgado: http://www.eliasmattarassad.com.br/arquivos/Partido_Socialista_Brasileiro.jpg

Relacionadas

Governador nomeia dois novos secretários de Estado

AÇÃO

MP pede devolução de mais de R$ 1 milhão em diárias da Câmara

ELEIÇÕES

Deputados aprovam adiamento das eleições para 15 e 29 de novembro

Comentários