CONSCIÊNCIA NEGRA: Elcio Melhem contesta teor de documento encaminhado pela ACIG à Câmara

Guarapuava – O vereador Elcio Melhem (PP-foto) não poupou críticas ao presidente da Associação Comercial e Empresarial de Guarapuava (ACIG), autor de uma nota oficial encaminhada à Câmara na tarde de ontem, terça-feira.
No documento, Grígolo objetiva esclarecer a posição da entidade que preside a respeito da polêmica gerada pelo feriado municipal de 20 de Novembro.
Grígolo diz que, caso o comércio não feche no dia do feriado, a ACIG deixa claro que não estará desrespeitando nenhuma lei. “Os senhores bem sabem que a ACIG não delibera sobre horário e dia de funcionamento do comércio. Quem faz isso são os sindicatos patronais e dos empregado (no caso de nossa cidade o Sindicato do Comércio Varejista de Guarapuava e o Sindicatos dos Trabalhadores no Comércio), através da convenções coletivas ou termos aditivos”.
Elcio Melhem reagiu a essa afirmação e disse que Grígolo não tem autoridade para tentar repassar a responsabilidade do não cumprimento da lei aos sindicatos e lembrou que convenções coletivas, como foi mencionado por Grígolo, são para discutir dissídios.
No documento encaminhado pela ACIG à Câmara, Grígolo lembra que a entidade possui mais de 850 associados e, muitas vezes, repassa as demandas do comércio a tais sindicatos e, algumas vezes, torna suas reivindicações públicas. “Mas não é a ACIG que define se o comércio abre ou não”.
No caso específico do feriado da consciência negra, o presidente da ACIG se manifestou, em alguns órgãos de comunicação, contrário ao fechamento do comércio, segundo ele, por questões econômicas.
“É verdade que o feriado causa ainda muitas dúvidas e nem mesmo as entidades sindicais sabem com certeza o que irão fazer. A associação agurada o desenrolar das decisões. No entanto, a ACIG não tem medo de expor seu posicionamento”, diz.
O que a entidade de seja deixar claro, de acordo com Grígolo, é que aposição da entidade “restringe-se a argumentos econômicos”.
Diz ainda que defende a abertura do comércio na sexta-feira (20) asim como defende que o comércio funicione em outros feriados. “Somos um país que enfrenta um grande desemprego e que precisa produzir. Ao mesmo tempo, somos um dos países que tem mais feriados”, pondera.
Em novembro, segundo Grígolo, acontece a “safra do comércio” e é justamente no dia 20 que acontece o pagamento da primeira parcela do 13o salário pelas empresas. “É quando, depois de um turbulento ano comoe ste por causa da crise, as empresas conseguem reveter seus prejuízos”.
Finalmente, a ACIG defende a divulgação de informações pelos meios de comunicação, a realização de eventos educativos e manifestações culturais e artísticas em escolas (como prevê a lei municipal), praças e auditórios de Guarapuava sobre o tema em questão.
Melhem afirmou também que o presidente da ACIG só lembra da Câmara de Vereadores quando é para defender interesses da entidade.

Relacionadas

NOVA MEDIDA

TSE suspende consequências para quem não votou nas eleições de 2020

HOMENAGEM PÓSTUMA

Prefeito decreta luto oficial de três dias pela morte de Bosco

Carreata pede 'impeachment' de Bolsonaro também em Guarapuava

Comentários