Venda de peixe diminui na Quaresma em Guarapuava, diz comerciante

O peixe mais procurado é tilápia em filé, que custa em média R$ 23,80, o quilo

O consumo do peixe durante o período da Quaresma é uma tradição da católica, como substituição da carne vermelha. A troca tem um significado simbólico, pois a carne representa o mundo material, as paixões, pecados, egoísmo e ganância, conforme a crença. Já o peixe simboliza alimento de vida e símbolo da ceia eucarística.

(Foto: Arquivo/RSN)

Segundo o empresário, Amaury Antônio Martini, as vendas durante o período da Quaresma têm um acréscimo de 40% se comparado aos outros meses. Entretanto, o comerciante afirmou que este ano, a procura está menor. “Nos dois anos anteriores as vendas foram excelentes, claro que a demanda aumenta e muito, mas este ano estamos com um movimento 15% menor do que 2018”.

Amaury atribui a queda ao aumento da oferta. “O crescimento dos matadouros em municípios da região colaborou para que diversos estabelecimentos se especializassem na venda de peixes, ou seja, a procura se manteve e a oferta aumentou”.

Ele explicou ainda que a maior procura é por filé de Tilápia. “Anteriormente o peixe mais procurado era o filé de Merluza, hoje 90% das pessoas preferem a Tilápia”. Amaury destacou que durante a Semana Santa os guarapuavanos preferem bacalhau. Os preços variam de R$ 36,80 a R$ 79,80.

O pescado mais em conta é a merluza interfolhada que custa R$ 19,80 o quilo. Mesmo com queda nas vendas, os tipos de salmão podem ser encontrados a partir de R$ 51,80 o quilo. O peixe mais procurado é tilápia em filé, que custa em média R$ 23,80, o quilo.

DICAS DO PROCON

O coordenador do Procon em Guarapuava, Paulo Lima, explica que é necessário que os peixes devem ser conservados em gelo. O consumidor deve verificar se os olhos estão brilhantes e as escamas bem presas ao corpo. “A higiene e o armazenamento também são itens importantes. No supermercado deve estar em balcão frigorífico e na feira é necessário ter gelo picado por cima, estar exposto em balcão de aço inox inclinado e protegido do sol e insetos”. Além de ser obrigatório que o feirante use luvas descartáveis.

No caso do peixe congelado e aqueles que são vendidos em embalagens, o balcão onde ele estiver armazenado não pode estar superlotado. Isso impede a circulação do ar frio e compromete sua qualidade. O produto congelado deve estar conservado sempre a temperaturas inferiores a -18°C e o resfriado, abaixo de 0°C.

É importante analisar no rótulo o registro no órgão de fiscalização competente, indicação de temperatura para conservação, data de acondicionamento e prazo de validade. “Depois de descongelado é recomendável que seu preparo e consumo sejam feitos rapidamente”.
Nestes alimentos deve constar o carimbo do S.F.I. (Serviço de Inspeção Federal). No Paraná, este carimbo pode ser substituído pelo do S.I.P. (Serviço de Inspeção do Paraná) ou S.I.M. (Serviço de Inspeção Municipal).

Para acionar o Procon sobre qualquer problema é imprescindível a apresentação da nota fiscal da compra dos produtos.

Relacionadas

CUIDADO COM O GOLPE

Receita do Paraná alerta para tentativa de golpe via e-mail

BAIRRO INOVADOR

'Cidade dos Lagos' atrai a atenção de investidores de várias Regiões

NOVO PROGRAMA

Estado lança programa para recuperar economia dos municípios

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com