Conversas no celular de Wycaro desmentem versão de Weliton

A afirmação é feita pelo advogado Thales Luan Domingues ao Portal RSN. Ontem (29) fez um ano da morte do jovem 'Peregrino do Amor'

Um ano após a morte, crime contra Wycaro pode ser elucidado (Foto: Arquivo/RSN)

Ao completar um ano da morte do jovem Wycaro Domingues de Deus, o caso está prestes a ser concluído. Assim o ponto principal para essa conclusão foi o desbloqueio do celular da vítima e que desmente a versão do autor da sua morte.

O jovem Weliton Marcos Chimilosk, de 20 anos, se apresentou à polícia acompanhado por advogado, horas depois do crime ocorrido na madrugada de 29 de março de 2019, em Guarapuava. Ele entregou a arma do crime.

Entretanto, em depoimento o jovem negou que conhecia a vítima. Disse que Wycaro arrombou a porta da sua casa, na rua dos Médicos, no Residencial 2000. E que ambos entraram em luta corporal provocando o esfaqueamento fatal de Wycaro.

Weliton confessou o crime (Foto: Arquivo/RSN)

Todavia, segundo o advogado da família da vítima, Thales Luan Domingues, em junho do ano passado, foi solicitado o desbloqueio do celular de Wycaro, comprovando que a versão dada por Weliton não condizia com a verdade. “Juntamos essas informações e mostramos que Weliton estava mentindo”. O criminalista Násser Vinícius Zavonelli também atua na defesa.

Conforme o advogado, Weliton e Wycaro eram íntimos. “No dia do crime, Weliton mandou a localização da sua casa para o Wycaro”. Assim, em novo depoimento recente, embora tenha mantido a declaração que não conhecia a vítima, ao ser confrontado com as conversas por celular, Weliton “não conseguiu explicar direito”. De acordo com Thales, informações que constam no celular de Wycaro são importantes para o processo e virão à tona no momento certo.

DEMORA

Conforme o advogado, o delegado que preside o inquérito pediu a prisão preventiva de Weliton logo após o crime. Porém, a 11ª Promotoria não acatou alegando falta de argumentos. Assim, o inquérito retornou à polícia para novas diligências, incluindo a restituição do crime. “Algumas foram feitas, outras não”.

Entretanto, segundo Thales, como mudou o promotor do caso, já que Wiliam Gil foi para Curitiba, o novo responsável pela 11ª Promotoria, requisitou o inquérito de volta e agora tem novo prazo para apresentar a denúncia.

“Estamos trabalhando para que o promotor peça a prisão de Weliton para que lhe seja imputada uma pena que configure a gravidade do crime cometida. A morte de Wycaro teve grande impacto para a sociedade”.

RELEMBRE

Faixas em homenagem ao jovem morto (Foto: Arquivo/RSN)

Conhecido com o ‘Peregrino do Amor’, Wycaro desenvolvia projetos socais, em especial com jovens usuários de drogas. Porém, o trabalho social que já durava 10 anos, estendia-se a alcoólatras, depressivos e pessoas em qualquer situação de risco.

Pela sua dedicação a esse público, o padre Jean Patrick disse que o jovem possuía um “ar de santidade” e que tinha orgulho de ter conhecido um santo em vida. Assim, o jovem continua recebendo muitas homenagens póstumas. Ele já denomina uma das ruas do bairro Industrial Xarquinho, onde morava. Procissões luminosas, carreatas e celebrações religiosas, mensalmente relembraram a trajetória do jovem missionário.

CAMINHADA

Familiares e amigos cancelaram o movimento agendado para esse domingo (29), para lembrar um ano da morte do jovem Wycaro Domingues de Deus. De acordo com a jornalista Andrea Alves, amiga da família, a causa foi o isolamento social por causa do coronavírus.

Porém, ela diz que ninguém aceita o fato do autor do crime estar em liberdade. “Está tudo nas mãos do promotor, mas o assassino continua em liberdade”.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

ACERTO DE CONTAS

Adolescente acusado por furto é ameaçado pelas vítimas em Palmital

CONTRA O TRÁFICO

PM prende traficante com mais de 127 quilos de maconha em Guarapuava

CAOS

Preso é encontrado enforcado na 14ª SDP nesta terça (14)

Comentários