Em Guarapuava, caminhada pede o fim da violência contra a mulher

Homenagem, palestras, mobilização e orientações integram a programação do Dia T, que ocorre na tarde deste sábado (25)

Uma mobilização de toda a sociedade em prol da vida das mulheres e pelo fim da violência de gênero ocorre na tarde deste sábado (25), em Guarapuava. Intitulada Dia T, a iniciativa é do Movimento Tod@s por Todas, formado por entidades, movimentos sociais e instituições guarapuavanas que sairão em caminhada em prol desta causa social.

O ponto de partida da caminhada é a Praça Cleve, no centro de Guarapuava, às 14h. Nas ruas, a mobilização seguirá até o edifício Golden Garden, local onde a advogada Tatiane Spitzner residia com seu então marido, Luís Felipe Manvailer, preso após a morte da esposa, no dia 22 de julho. Manvailer é acusado de feminicídio, fraude processual e cárcere privado contra a advogada, que morreu após cair da sacada do 4º andar do apartamento onde morava.

Edifício Golden Garden (Foto: Luisão Vascaino/Skyscraper city)

Em frente ao edifício residencial, homenagens serão feitas à Tatiane e a tantas outras mulheres vítimas de violência. Em seguida, a mobilização seguirá para o Parque do Lago, onde, em concentração, a sociedade poderá participar de palestras, receber atendimento jurídico e serviços de saúde oferecidos pelas entidades e instituições parceiras. Uma banda também fará apresentações musicais no local, acompanhando os serviços oferecidos.

De acordo com uma das integrantes do movimento Tod@s por Todas, Ana Cristiane Moreles, no Parque do Lago, serão recolhidas, também, assinaturas para a petição que busca criar uma lei de ensino preventivo de violência contra a mulher em Guarapuava. A ideia é que, a partir de uma mobilização popular seja consolidado o projeto para atuar nas escolas e dialogar, com proximidade, diretamente com os futuros adultos da sociedade, que são os potenciais agentes da mudança. Para ser proposto como projeto de lei, a petição precisa da assinatura de 5% dos eleitores do município.

Entenda:
Petição busca criar lei de ensino preventivo de violência contra a mulher em Guarapuava

“Precisamos também da força da comunidade como um todo. O pedido é para que seja feito o projeto de lei. Nós somos apartidários mas precisamos dos caminhos legais, legislativos, para alcançar nossa meta”, declarou Ana.

A petição online segue recolhendo assinaturas também. Para participar e colaborar, clique aqui.

(Imagem: Divulgação)

Para esse movimento de luta e mobilização, há a união de forças das seguintes entidades, instituições e movimentos: Numape, Marcha Mundial das Mulheres (Guarapuava), Clube Soroptimista, Movimento de Mulheres da Primavera, Agroalfas Campo, Divas do Asfalto, Comissão da Mulher Advogada, Rede de enfrentamento à violência contra a mulher, Centro Universitário Campo Real, Faculdades Guairacá, Unicentro, OAB Guarapuava, Unip Universidade Paulista, Sesc, Casa da Cultura, Celen, Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres, Centro Interdisciplinar de Estudos de Gênero (CIEG), Edna Lima, Movimento Tamo juntas, Movimento Mulheres Alto da XV, Rotary Club Guarapuava – Guairacá, Portal RSN, Farmácia Nissei, Felchak Produções, Grupo Artístico Spatium, Cia Jones Guerra, Daccor Comunicação Visual e Marketing Digital.

Relacionadas

NOVO BOLETIM

Guarapuava registra seis novos casos de covid-19 em 24h

VINDOS DO PARAGUAI

Polícia Civil apreende carros com mercadorias do Paraguai

UTILIDADE PÚBLICA

Obras vão interditar a BR-277 no acesso para Guarapuava nesta quarta (23)

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com